Política

Ao BNews, Nikolas Ferreira comenta arquivamento de ação contra Janones: 'comprovado que crime compensa'

Lara Curcino / BNews
Deputado do Avante foi julgado na Câmara por suspeita de 'rachadinha'  |   Bnews - Divulgação Lara Curcino / BNews
Lara Curcino, direto de Brasília

por Lara Curcino, direto de Brasília

[email protected]

Publicado em 05/06/2024, às 18h08 - Atualizado às 18h10



O deputado federal Nikolas Ferreira (PL-MG) disse ao BNews que "ficou comprovado que o crime compensa", após a decisão do Conselho de Ética da Câmara de arquivar o processo que poderia cassar o também deputado federal André Janones (Avante-MG), por suspeita de esquema de "rachadinha".

Inscreva-se no canal do BNews no WhatsApp!

Nikolas e Janones se envolveram em uma discussão acalorada, com ameaça de agressão física e ofensas de baixo calão, após o fim da sessão no colegiado.

"André Janones, depois que foi livrado de forma vergonhosa do processo de cassação, que envolvia um áudio que dizia que ele, de fato, pegava o salário dos seus assessores, simplesmente começou a xingar e me ofender, me chamou para brigar, e começou a ficar descontrolado, indo para cima. Ninguém é de ferro e eu sou um homem que defende a minha dignidade e acredito que jamais irei retroceder para um cara como ele. Ele realmente quis ir me provocando, ir para a agressão física. E se isso, de fato, tivesse acontecido, eu não me surpreenderia se ele também não fosse cassado, porque aqui nessa Câmara foi comprovado mais uma vez que o crime compensa", disse ele, nesta quarta (5), após deixar audiência na Comissão da Mulher.

Segundo as investigações, durante o primeiro ano de Janones como deputado federal - 2019 -, assessores e ex-assessores do parlamentar tiveram que devolver a ele parte dos salários que recebiam, configurando as "rachadinhas". As suspeitas tiveram início após a descoberta de um áudio em que ele comenta sobre o esquema ilícito.

O processo para que o mandato dele fosse cassado foi arquivado por 12 votos a 5, após o relator da ação, deputado Guilherme Boulos (Psol-SP), apresentar um parecer a favor do parlamentar do Avante.  

A investigação ainda é tocada pela Polícia Federal (PF) e tramita no Supremo Tribunal Federal (STF).

"Se eu viajo com meu salário para ir a um jogo da Champions [League], em um presente de aniversário meu, eu sou quase que corrupto. Mas Janones, que tem um áudio claramente dizendo que os assessores dele pegavam o salário deles e davam para o deputado, ainda falando que era uma rachadinha voluntária, é inocentado. Isso é vergonhoso para o Brasil", concluiu Nikolas.

Classificação Indicativa: Livre

FacebookTwitterWhatsApp