Brasil

Lúcio ironiza investida de Sandro Mabel para liderar PMDB na Câmara

[Lúcio ironiza investida de Sandro Mabel para liderar PMDB na Câmara]
10 de Janeiro de 2013 às 21:08 Por: Lucas Esteves (Twitter: @lucasesteves)
O deputado federal Sandro Mabel (PMDB-GO) deseja ser o mais novo líder do PMDB na Câmara dos Deputados e está em franca campanha para obter o cargo. O parlamentar espalha aos quatro ventos que será eleito no 1º turno do pleito e que já conta com quantidade de votos tal que garantiria seu desejo. Entretanto, o correligionário baiano Lúcio Vieira Lima, apoiador do adversário de Mabel, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), garante que o goiano apenas blefa e que sua vitória é uma impossibilidade.
 
Segundo Lúcio, a recente declaração de Mabel, que diz ter reunido em torno de si a bancada dos estados do Espírito Santo e Paraná, não seria suficiente sequer para superar o grupo dos parlamentares do RJ, todos já fechados com Cunha para o pleito. Entretanto, teria apenas a estratégia de se dizer vencedor para, por ventura, convencer os indecisos que desejam apenas aderir aos vencedores. “É uma estratégia de tentar demonstrar força, pois há quem deseje votar apenas no vencedor. Então ele diz que vai vencer e talvez outros deputados votem com ele. Mas vou dizer que a candidatura de Eduardo Cunha é a vencedora e me arrisco a dizer que no 1º turno”, avaliou.
 
Outro argumento que desqualifica as informações que Mabel apregoa, no entender do deputado baiano, remete a dois anos atrás, quando o goiano disputou a presidência da Câmara dos Deputados e foi derrotado pelo petista Marco Maia. “Naquela época, Mabel ofereceu candidatura contra seu partido, o PR, já enfrentando processo de expulsão, e disse que já tinha votos o suficiente para vencer e que seria o novo presidente. O resultado foi uma derrota fragorosa”, lembrou Lúcio.
 
Lúcio Vieira Lima acredita que a grande diferença entre as candidaturas de Sandro Mabel e Eduardo Cunha jazem no fato de que enquanto o primeiro tenta apenas reunir poder para influenciar o partido internamente, o deputado carioca pretende debater internamente o PMDB para fortalecê-lo para os próximos anos. Desta maneira, Cunha teria conseguido, além do apoio dos colegas de parlamento, também o suporte dos governadores do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, e do Mato grosso, Silval Barbosa.

Matéria originalmente publicada às 12h58 do dia 10/01.
Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Compartilhar