Coronavírus

Tropa de choque bolsonarista tenta depoimento remoto de Pazuello, mas presidente da CPI bate de frente

[Tropa de choque bolsonarista tenta depoimento remoto de Pazuello, mas presidente da CPI bate de frente ]
04 de Maio de 2021 às 13:24 Por: Reprodução/Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil Por: Victor Pinto*

Em discussão com a tropa de choque do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), o presidente da CPI da Pandemia, senador Omar Aziz (PSD), foi irredutível na medida de flexibilizar o futuro depoimento do ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello. 

Governistas tentaram readequar a participação do ex-ministro, que alegou estar de quarentena e não comparecerá a CPI nesta quarta-feira (5), conforme estava programado. 

Aziz destacou que não há possibilidade da convocação de testemunhas serem semipresenciais. A liberação fora feita somente aos senadores. O fato levantou a reclamação dos senadores Ciro Nogueira (PP) e Marcos Rogério (DEM). 

“Ele pode esperar 14 dias de quarentena e depois vir aqui (…). Não haverá subterfúgio na minha presidência”, disse o senador.

 

*O editor de política do BNews viajou para Brasília para a cobertura especial da CPI da Covid

 

Notícias Relacionadas

Acompanhe a CPI da Covid no Senado Federal; colegiado recebe nesta terça Mandetta e Teich

Mandetta alega ter alertado Bolsonaro sobre escalada da pandemia: “não tomou providência”

Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Compartilhar