Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Eleições

Feira de Santana tem 400 mil eleitores, com maioria de mulheres e solteiros; veja raio-x

[Feira de Santana tem 400 mil eleitores, com maioria de mulheres e solteiros; veja raio-x]
02 de Outubro de 2020 às 05:15 Por: Montagem/BNews com foto de Agência Brasil Por: Léo Sousa e Tiago José Paiva

Quatrocentos mil cidadãos estão aptos a participar da escolha do próximo prefeito de Feira de Santana no dia 15 de novembro, data do primeiro turno das eleições 2020, segundo dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) levantados pelo BNews

O número exato (400.549) é pouco maior que o da última eleição municipal, em 2016, quando 397.590 pessoas domiciliadas na cidade estavam aptas a votar - Salvador, na contramão, perdeu 51 mil eleitores. Apenas 1.591 eleitores de Feira não realizaram a biometria (0,40% do total). Quatro anos atrás, o número foi de 359.393 (90,39%).

Assim como na capital baiana, as mulheres formam a maioria do eleitorado de Feira de Santana. São 221.254 eleitoras (55,24%) frente a 179.294 eleitores homens (44,76%), diferença que teve leve crescimento em relação à última eleição municipal, quando os números foram 216.677 (54,50%) e 180.555 (45,41%), respectivamente.

Estado civil

Os dados do TSE mostram que nos últimos quatro anos o número de casamentos na "Princesinha do Sertão" cresceu. Apesar da alta na quantidade de casados, que subiram de 86.948 (21,87%) para 134.600 (33,60%), os solteiros ainda representam a maior parcela do total de eleitores do município: 236.848 (59,13%), número menor que em 2016, quando eram 301.409 (75,81%). Neste ano, há ainda 12.284 viúvos (3,07%), 14.676 divorciados (3,66%) e 2.140 separados judicialmente (0,53%). Apenas um eleitor não informou o estado civil.

Idade

De acordo com os registros do Tribunal Superior Eleitoral, cidadãos entre 35 e 39 anos compõem o perfil de idade mais comum do eleitorado de Feira de Santana. São 49.941 pessoas nessa faixa etária aptas a votar nestas eleições, o que corresponde a 12,47% do total. Em 2016, o recorte de idade com maior número foi o de 30 a 34 anos: 50.960 (12,82%).

Cidadãos entre 40 e 44 anos são o segundo perfil etário mais representativo neste ano, com 45.234 eleitores (11,29%), seguidos por eleitores de 30 a 34: 45.145 (11,27%). Apenas 1.243 (0,31%) jovens com idade em que o voto não é obrigatório - 16 e 17 anos - estão aptos a votar em Feira neste ano. No último pleito municipal, foram 2.665 eleitores com esse perfil (0,67%). Já os centenários (cem anos ou mais), caíram de 111 (0,03%), em 2016, para apenas 29 (0,01%) agora.

Escolaridade

Os dados do TSE apontam para uma melhora na escolaridade do eleitor feirense. Se há quatro anos as 121.530 pessoas com o ensino fundamental incompleto representavam a parcela mais significativa do eleitorado do município (30,57%), em 2020, os que concluíram o ensino médio são maior parte: 141.697 (35,38%).

O número de eleitores analfabetos, também, caiu. Nas últimas eleições municipais, 19.369 pessoas com esse perfil estavam aptas a votar na cidade (4,87%), contra 9.994 (2,50%) neste ano. Os que apenas leem e escrevem são 28.207 (7,04%) agora - em 2016, foram 54.928 (13,82%). Já a parcela de eleitores com ensino superior completo, subiu: de 9.316 (2,34%), quatro anos atrás, para 42.525 (10,62%) em 2020. 

Inclusão

A eleição deste ano, em Feira, deve ter uma participação mais significativa de eleitores com deficiência. No último pleito municipal, segundo o Tribunal Superior Eleitoral, 1.064 deficientes exerceram o voto na cidade baiana, menos da metade de cidadãos com esse perfil que estão aptos a votar neste ano: 2.309. 

Assim como em 2016, pessoas com dificuldades de locomoção são a parcela mais significativa desse total: 30,92%, com 824 eleitores, seguidas por deficientes visuais (17,71%), "dificuldade para o exercício do voto" (16,29%) e auditivos (7,95%). Outras deficiências somam 723 (27,13%).

Uma das novidades dessa eleição em relação ao pleito para prefeito e vereadores de 2016 é a inclusão do nome social - aquele pelo qual pessoas transexuais, travestis e outros preferem ser chamadas. Ao todo, mostram os dados do TSE, nove eleitores com esse perfil poderão exercer o voto em Feira de Santana neste ano, contra zero quatro anos atrás.

O direito é resguardado pelo Decreto nº 8.727 de abril de 2016, sobre reconhecimento de identidade de gênero "no âmbito da administração pública federal direta, autárquica e fundacional", e regulamentado por portaria do TSE publicada em 2018.

Leia também:

Salvador tem quase dois milhões de eleitores, mas número de aptos a votar é menor que em 2016

Raio-X do eleitorado soteropolitano: mulheres e solteiros são maioria, deficientes quase triplicam e mais de 130 votam com nome social

Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso