Eleições

Eleições vão custar R$ 480 mil

[Eleições vão custar R$ 480 mil]
02 de Outubro de 2010 às 22:31 Por: Luiz Fernando Lima


O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) divulgou a estimativa de gastos com as eleições deste ano. De acordo com relatório, ao todo a Justiça Eleitoral deve investir R$ 480 milhões entre a preparação e a realização do pleito do próximo domingo (3).  Na Bahia, o Tribunal Regional Eleitoral (TRE) disponibilizou mais de R$ 25 mi para as eleições. A despesa é distribuída entre operacional (R$ 16.480 mi) e pessoal (R$ 8.431 mi ), as quantias são aproximadas.

Segundo relatório do TSE, os gastos nacionais serão inferiores à dotação financeira estimada, que ficou na ordem de R$ 549 mi. Apesar dos valores serem exorbitantes à primeira vista, a eleição geral de 2010 será, proporcionalmente, menos onerosa que as duas anteriores para os eleitores.

Em 2006, cada eleitor pagou cerca de R$ 3,48 para suprir os R$ 450 mi investidos no pleito. Já em 2002, foram empregados R$ 495 milhões no período, o que à época representou um custo por eleitor de R$ 4,31. Este ano, o valor total dividido pela quantidade eleitores - 135.804.433  – resulta num custo de R$ 3,56 para cada um.

Segundo o TSE, para levar as urnas até todos os 5.567 municípios brasileiros, em todas as regiões do país, serão necessários recursos na ordem de R$ 35 milhões. A Justiça Eleitoral investiu “pesado” na tecnologia que permite a transmissão de dados via satélite. O custo com os mesários também é significante. São mais de 2,1 milhões de cidadãos que vão trabalhar, sendo que cada um recebe R$ 20 por turno. Em caso de segundo turno, o custo total fica em R$ 82 milhões.

As campanhas de publicidade também são responsáveis por uma fatia do orçamento eleitoral do TSE. Cerca de R$ 4 mi.  Foram vários os temas dos informes divulgados na mídia impressa e audio visual, entre os quais estão: como evitar e denunciar tentativa de compra de votos, a importância de pesquisar o passado dos candidatos, as funções de cada cargo em disputa nesse pleito, a segurança do sistema eletrônico de votação, o passo a passo de como votar e a importância de levar uma “cola” no dia da votação. 

A necessidade de portar dois documentos para poder votar foi um dos temas mais “martelados” pelas campanhas de rádio e televisão da Justiça Eleitoral, contudo, após o Supremo Tribunal Federal (STF) derrubar a exigência do título o TSE teve que empregar mais dinheiro para produzir programas que informassem aos eleitores da decisão.
Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Compartilhar