Geral

Dia dos Namorados: Contrato de Namoro se torna opção para casais que querem proteger patrimônio

[Dia dos Namorados: Contrato de Namoro se torna opção para casais que querem proteger patrimônio]
12 de Junho de 2019 às 08:50 Por: Ilustrativa Por: Redação BNews 0comentários

 Casais que namoram há muito tempo podem ter problemas em uma eventual separação em relação a bens materiais? Sim. Por isso, uma medida formal está se popularizando entre os casais no país: trata-se do contrato de namoro. Feito em um Tabelionato de Notas, o contrato de namoro ou declaração de namoro é o instrumento para casais de namorados que desejam proteger o seu patrimônio e evitar a configuração de união estável. 

Segundo a tabeliã Núbia Barbosa, titular do 9º Tabelionato de Notas de Salvador, o contrato consiste em um documento produzido em cartório, no qual ambas as partes assumem a condição de namorados e declaram não haver intuito atual de constituir família. 

“Tal declaração é a prova documental de que não há união estável, evita-se, assim, que em eventual separação, uma das partes reivindique partilha de bens, pensão alimentícia ou herança, ou seja, os mesmos direitos que existem em uma união estável ou casamento. Destaca-se que o contrato de namoro deve refletir a realidade, e não pode servir para violar direitos ou causar danos. Assim, não deve um casal que vive em união estável declarar que são apenas namorados para evitar os efeitos que a lei impõe”, explica. 

Ainda conforme a Tabeliã, a partir da decisão do Supremo Tribunal Federal que equiparou para efeitos sucessórios a união estável ao casamento, o contrato de namoro se tornou uma prova forte para que seja demonstrada a intenção do casal de namorados.  “Ressalta-se que se um casal não possui contrato de namoro e reside juntos e/ou demonstram convivência pública, isso pode configurar união estável. O contrato de namoro afasta as consequências jurídicas da união estável, e evita que o namoro possa ser confundido”.

Para realizar um contrato de namoro, o casal deve ir a um Tabelionato de Notas munido dos documentos de identificação e certidão de nascimento e realizar o contrato por escritura pública . O custo no Estado da Bahia é de R$228,96.

Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.

Leia os termos de uso

jusnews

Na Sombra do Poder

Eduardo Entrevista

Mais Lidas