BNews Agro

Programa de dessalinização ajuda a levar água potável para 60 mil famílias no Semiárido baiano

[Programa de dessalinização ajuda a levar água potável para 60 mil famílias no Semiárido baiano]
18 de Setembro de 2021 às 10:20 Por: Divulgação Por: Redação BNews

Uma iniciativa de dessalinização tem ajudado a levar água potável a mais de 60 mil famílias do Semiárido da Bahia. 

O Programa Água Doce (PAD) é coordenado na Bahia pela Secretaria de Meio Ambiente (Sema), e executado em parceria com a Companhia de Engenharia Hídrica e de Saneamento da Bahia (Cerb), com atuação da Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional (CAR) desde 2018 quando a Companhia foi contratada para fazer a manutenção dos sistemas. 

Empresa vincula à Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR), a CAR monitora 295 sistemas do PAD, instalados em 55 municípios baianos. 

LEIA TAMBÉM: Bahia já executou mais de 80% das ações do Plano Nacional de Erradicação da Febre Aftosa

“A CAR desenvolve ações que propiciam o tratamento da água de poços salinos, transformando, após a dessalinização, em uma água de qualidade. São pequenos reparos, consertos, troca de bomba, orientação, capacitação técnica, tudo para que possamos deixar o sistema vivo e funcionando”, explica o coordenador técnico do PAD pela CAR, Abimael Passos.

A dessalinização

O processo de dessalinização dos poços artesianos acontece por meio da osmose reversa, que é quando a água chega com um alto teor de sal e vai passando por membranas que filtram a maior quantidade de vírus, bactérias e reduzem a quantidade de sal, tornando a água totalmente potável e com níveis de sais adequados para consumo. 

Seu Delfino Maia de Matos, da comunidade Mandassaia 2, em Riachão do Jacuípe, conta como o sistema mudou a vida da população local: ”É uma água muito importante para nossa comunidade. Depois que nós recebemos esse projeto, até a vida das nossas crianças melhorou sobre o problema de verme que a gente tinha aqui porque é uma água muito boa. Eu mesmo não troco pela água mineral”.

As visitas

Para fortalecer o processo de gestão, que é feito de forma compartilhada com a comunidade, a CAR contratou três equipes especializadas, compostas por técnicos de dessalinização, para verificação dos equipamentos, e assistentes sociais, que auxiliam na gestão junto ao Grupo Gestor de cada localidade.

“O nosso trabalho consiste em realizar uma visita a cada trimestre nas comunidades, quando nós orientamos no sentido da organização social, mediando conflitos, e no sentido do consumo da água dessalinizada e a limpeza dos reservatórios, garantindo a sustentabilidade do sistema através das orientações”, comenta a assistente social da CAR no projeto, Raíra Ribeiro.

Roquelina Araújo, da Associação das Mulheres Pintando a Esperança de Bonsucesso, fala sobre o valor dessas visitas para o Grupo Gestor: “Um dos grandes suportes para nós são as visitas do pessoal da CAR. As meninas ajudam bastante, não só na questão técnica, mas também na questão de cuidar e organizar. É um suporte muito bom”.

Investimentos

Segundo a coordenadora do PAD na Bahia, Luciana Santa Rita, já foram investidos mais de R$ 65 milhões no programa: “É uma tecnologia interessantíssima já adotada em vários lugares do mundo. A expectativa agora do plano estadual para os próximos 10 anos é aumentar para mais 400 equipamentos e qualificá-los com tecnologias aplicadas como o uso de energia solar e a utilização em sistemas produtivos”. 

O diretor-presidente da CAR, Wilson Dias, expõe os planos para que esses sistemas, além de levar água pura para a população, possam gerar renda com a criação de pequenas usinas de beneficiamento de água dessalinizada. 

“Nós agora vamos conhecer a experiência do Ceará, que faz aproveitamento da água que foi dessalinizada para comercialização nos municípios. Queremos implantar essas usinas que vão, localmente, engarrafar essas águas sejam em vasilhames de 20 litros, garrafinhas ou até copos para que as associações que fazem a gestão dos empreendimentos de água doce possam comercializar esses produtos nos municípios. Será uma nova fonte de renda importante para essas organizações”, finalizou.

Leia Mais em BNews Agro:

Produtores cobram do Congresso votação de PL que regulamenta questão indígena

Kassio, do STF, defende marco temporal de terras indígenas, Moraes pede vista, e julgamento é suspenso

Revisão de zoneamento agrícola facilita aquisição de crédito para produtores de cacau em Jequié

 

Classificação Indicativa: Livre


Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Compartilhar