BNews Agro

Plantio da nova safra de soja no Brasil começa com preços 30% mais altos do que há um ano

[Plantio da nova safra de soja no Brasil começa com preços 30% mais altos do que há um ano]
19 de Setembro de 2021 às 11:02 Por: Reprodução Por: Redação BNews

A última semana foi marcada pelo início do plantio da soja 2021/22 no maior estado produtor do Brasil, o Mato Grosso, com o final do vazio sanitário. Segundo o site Notícias Agrícolas, o começo dos trabalhos de campo se dá com preços bastante elevados para os produtores brasileiros, dando boas oportunidades de negócios e com uma demanda dando bons sinais a uma oferta que pode ser a maior da história. Assim, não só a semeadura foi destaque, como uma retomada no ritmo de vendas da oleaginosa tanto da safra velha, quanto nova. 

Leia também:

Muniz Ferreira: Governo e prefeitura articulam ações para impulsionar agricultura familiar

Agronegócio da Bahia bate recordes e se destaca na economia em meio à pandemia

Monte Santo: Comunidade destaca o fortalecimento da Ovinocaprinocultura por meio de projeto

Há um ano, em 15 de setembro de 2020, os futuros da soja negociados na Bolsa de Chicago estavam cerca de 30% mais baixos, com o novembro valendo US$ 9,91, contra o fechamento desta sexta-feira (17) em US$ 12,84, acumulando um ganho de 29,57%. O maio, referência para a safra brasileira, valia US$ 9,96, enquanto fechou o último pregão em US$ 12,97, subindo 30,22%. 

No terminal de Paranaguá, a soja da safra 2021/22 testou um intervalo de R$ 162,00 a R$ 163,00 por saca neste final de semana, segundo informou a Brandalizze Consulting, contra referências de R$ 119,00 no mesmo período do ano passado. Para a soja disponível, a diferença também é expressiva. Em 15 de setembro do ano passado, os negócios aconteciam na casa de R$ 135,00 por saca e neste ano testaram, nesta semana, níveis de até R$ 178,00 nesta semana. Alta de 31,85%. 
 
"A liquidez no mercado da soja voltou a crescer, especialmente nos portos nacionais. Isso porque a valorização do dólar frente ao real atraiu importadores e incentivou produtores a negociar lotes, especialmente os da safra 2020/21. Nesse cenário, os preços da soja reagiram", explicaram os pesquisadores do Cepea em uma nota nesta segunda-feira (17).

Classificação Indicativa: Livre


Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Compartilhar