BNews Agro

Deputado propõe alimentar Polo Agroindustrial do Médio São Francisco com energia fotovoltaica

Divulgação/Seplan

Publicado em 09/10/2021, às 06h30    Divulgação/Seplan    Redação BNews

A instalação da terceira usina sucroalcooleira do Polo Agroindustrial e Bioenergético do Médio São Francisco, na região norte da Bahia, ampliou o debate sobre as alternativas para suprir a necessidade energética dos empreendimentos que surgem no complexo. 

Umas das propostas levadas esta semana ao vice-governador e Secretário de Planejamento, João Leão (PP), prevê a utilização de energia fotovoltaica. A sugestão é do deputado estadual Tum (PSC), para quem o uso de fonte limpa de energia potencializa ainda mais a capacidade do local.

LEIA TAMBÉM: Curso na Bahia quer democratizar produção de vinho

“O Polo Agroindustrial é um case muito forte e que representa uma guinada para a região norte da Bahia. Uma região que já se destaca com a produção de energia eólica e solar, fontes limpas, que podem suprir a necessidade energética dessas grandes usinas”, defendeu o parlamentar durante o encontro com o vice-governador na quarta-feira (6).

De acordo com o deputado, a intenção foi bem recebida pelo secretário João Leão, que reforçou a importância de se estabelecer uma sinergia entre o polo e a produção de energia limpa, como forma de reduzir custos, retroalimentar essas duas cadeias e gerar emprego e renda para a população.

LEIA MAIS

- Polo Agroindustrial deve gerar 3,5 mil empregos em Muquém do São Francisco

- Polo Agroindustrial do São Francisco viabilizará um novo olhar do setor produtivo, diz João Leão

De acordo com a Secretaria Estadual de Desenvolvimento Econômico (SDE), o objetivo é instalar 12 projetos no Polo Agroindustrial e Bioenergético, que incluem quatro usinas de etanol e açúcar, uma no município de Muquém do São Francisco, duas no município de Barra e uma no município de Santa Maria da Vitória. 

Além disso, prevê um projeto de pecuária e sete projetos agrícolas, voltados para a produção de grãos, tomate e raízes, incluindo agroindústrias de polpa de tomate, de processamento de raízes e produção de ração animal. A expectativa é que, para os próximos 10 anos, os investimentos cheguem a R$ 9,65 bilhões, gerando em torno de 60 mil empregos diretos e indiretos na região.

Acompanhe o BNews também nas redes sociais, através do Instagram, do Facebook e do Twitter

Relacionadas:

Três grupos de investidores visitam Polo Agroindustrial da Bahia

Polo Agroindustrial baiano é apresentado a usineiros de Alagoas

Investidores de Pernambuco e LEM visitam Polo Agroindustrial do Médio São Francisco

Governo baiano e setor produtivo discutem pacto para fomentar economia no interior; Estado aposta em Polo Agroindustrial

Classificação Indicativa: Livre