BNews Agro

Safra de laranja volta a crescer em SP e MG após dois anos ruins

Pixabay

A previsão do Fundecitrus para a próxima safra é de 316,95 milhões de caixas

Publicado em 26/05/2022, às 21h14    Pixabay    Marcelo Toledo/Folhapress

A safra de laranja 2022/23 voltará a crescer depois de dois anos com baixas produções no cinturão citrícola formado pelo interior de São Paulo e o Triângulo Mineiro. É o que aponta o Fundecitrus (Fundo de Defesa da Citricultura), que anunciou sua previsão anual nesta quinta-feira (26) em Araraquara (a 273 km de São Paulo).

A previsão do Fundecitrus para a próxima safra é de 316,95 milhões de caixas (de 40,8 kg cada), 20,53% mais que a safra anterior, que alcançou 262,97 milhões de caixas da fruta.

Leia também:Embarques de suco de laranja crescem para a China, mas seca e geada derrubam exportações

O intenso calor, a falta de chuva e a ocorrência de geadas resultaram em laranjas menores e queda da fruta nos pomares nas duas últimas safras, depois de uma superprodução com 386,8 milhões de caixas na temporada 2019/20.

A avaliação do Fundecitrus é que os pomares conseguiram se recuperar das adversidades climáticas enfrentadas nos dois últimos anos e a safra terá frutos maiores. Consequentemente, os pomares terão melhor rendimento de caixas por hectare.

"Era de se esperar uma safra até maior, até pela bianualidade da cultura, mas como viemos de uma situação em que as laranjeiras sofreram muito com a seca e a geada, as reservas das plantas estavam aquém da normalidade", afirmou Juliano Ayres, gerente-geral do Fundecitrus.

O peso médio das laranjas deve ser de 158 gramas, 10,49% acima do registrado na safra passada –inferior, porém, à média dos últimos sete anos. Já a produtividade média está estimada em 920 caixas por hectare, ante as 760 caixas da safra 2021/22, com 1,86 caixa por árvore, superando a marca de 1,58 caixa por laranjeira da safra anterior.

A estimativa do Fundecitrus é que existam 169,97 milhões de árvores em produção, 3,41 milhões a mais que o registrado no ano passado, apesar de a área ter reduzido em 0,50%. Isso significa que está ocorrendo um maior adensamento de plantas nos pomares.

Siga o BNews no Google Notícias e receba as principais notícias do dia em primeira mão.

Classificação Indicativa: Livre