BNews Pet

Especialista explica quando a perda de pelos em cães e gatos pode ser patológica

Secretaria de Saúde do Distrito Federal

Publicado em 05/05/2021, às 09h18    Secretaria de Saúde do Distrito Federal    Adelia Felix

Quem cria cachorro ou gato sabe que em qualquer canto da casa pode aparecer pelo do animal. Em algumas épocas do ano, a troca de pelagem se intensifica, o que pode causar desconforto para quem convive com eles. É importante entender que os nossos amigos de quatro patas apresentam um ciclo folicular semelhante ao do tutor. Ou seja, a pelagem dos cãezinhos e gatinhos passa por três fases principais: crescimento (fase anágena), repouso (fase telógena) e queda.

Ao BNew, a médica-veterinária Yasmim Carvalho explica que a maioria dos animais perdem pelos o ano inteiro, no entanto, é mais comum na primavera e no outono. “Essa  perda se intensifica nos meses que antecedem o verão e o inverno, ou seja, sazonal. Na primavera, a pelagem é substituída por uma mais fina, para suportar o calor do verão, já no outono, por uma mais densa e grossa, com o objetivo de auxiliar na proteção contra o frio que chegará com o inverno”, diz.

Mas até que ponto a queda de pelos é normal nesses animais domésticos? De acordo com a veterinária, o tutor deve ficar atento quando a queda intensa ultrapassa 30 dias e produz falhas na pelagem. “Há também outros sinais como, por exemplo, a opacidade e perda do brilho, forte odor, presença de caspas, caroços, coceira” detalha. A especialista complementa que a queda anormal do pelo pode estar atrelada ao estresse, alteração de temperatura ambiental, infestação por parasitas, deficiência nutricional, e até mesmo doenças sistêmicas.

Leia também
Cães e gatos cegos: Como adaptar a casa para nossos amigos de quatro patas
BNews Pet indica: Confira seis boas opções de comedouros avaliados por especialista
Cobra de estimação: Entenda as particularidades que a criação desse animal exótico exige
Especialista explica por que gatos gostam tanto de caixas de papelão

Por isso, ao observar esses sinais, é preciso levar o pet ao médico-veterinário para que a situação não se agrave. E, nada de apostar em remédios indicados para humanos, pois o quadro de saúde do animal pode se agravar. 

Existem muitos recursos para que a queda do pelo seja enfrentada com o mínimo de transtornos, entre eles, a escovação. O procedimento pode ser feito em casa, mas antes é preciso orientação de um veterinário na hora de comprar os acessórios para o seu pet, uma vez que há vários modelos com diferenciação para pelos longos e curtos. 

Raças de cães e gatos que mais perdem pelos
Entre os cachorros, as raças de pelos longos tendem a sofrer mais com a perda de pelo, no entanto, há ainda raças de pelos curtos que também sofrem com isso. Integra a lista cães da raça Golden retrivier, labrador, pastor alemão, pug, husky siberiano, chow-chow, akita, buldogue e rottweiller. Já entre as raças que soltam menos pelos entre os cães são: Dachshund, Shih Tzu, Basenji, Collie, Greyhound, Coton de Tulear, Schnauzer, West highland white terrier.

Já entre os gatos, as raças que mais perdem pelos são: persa, exótico e himalaio. Já os felinos das raças sphynx, siamês, bengal, burmês, devon rex, tonquinês, azul russo, oriental de pelo curto e Singapura não dão tanto trabalho ao tutor na hora da limpeza.

Classificação Indicativa: Livre