BNews Pet

Você sabe por que o seu cachorro fica com a língua para fora?

Pixabay

O BNews vai te ajudar a entender os sinais que o seu cãozinho te passa através da língua

Publicado em 28/07/2021, às 07h00    Pixabay    Laiz Menezes

Se você é tutor de um cachorro, com certeza já notou que o seu amigo peludo costuma ficar com a língua para fora em alguns momentos e se perguntou: “Será que ele está com sede ou será que ele está feliz?”. Para sanar a sua curiosidade, o BNews vai te ajudar a entender os sinais que o seu cãozinho te passa através da língua.  

Segundo a médica-veterinária Paloma Santana, a língua do cachorro permite que ele sinta o sabor dos alimentos, além de ajudar na mastigação. Além disso, o pet também pode usar o órgão para se familiarizar com o ambiente e para demonstrar afeto. A especialista explica que o cachorro põe a língua para fora da boca por vários motivos e para entender se está relacionado com sentimentos, estado fisiológico ou alteração na saúde, é necessário relacionar com o momento. 

"Em um cão que vai passear em um horário muito quente do dia, ele pode ficar com a língua para fora por sede ou por calor. Já quando estamos brincando e eles ficam esperando jogar o brinquedo com a língua para fora, pode significar ansiedade para que a gente arremesse logo o objeto. Já em situações em que o animal está com várias alterações na saúde, e fica com a língua dessa forma, pode ter causas como lesão neurológica ou respiratória, e aí é imprescindível a avaliação por um médico veterinário", disse a veterinária ao BNews

O cãozinho ainda pode utilizar a língua para regular a temperatura com o ambiente, que é o uso mais comum, segundo Paloma. A profissional acrescenta que, ao contrário dos seres humanos, que possuem glândulas sudoríparas que produzem suor pela pele, os cães precisam usar a língua como uma forma de regular a temperatura de seu corpo através da troca de calor. Mas se o animal estiver muito ofegante e com a língua para fora, é importante levá-lo para um lugar mais fresco para que ele descanse e se recupere. 

Já a zootecnista e doutora em ciência animal, Ana Carolina Ferreira, explica que, além da questão de regular a temperatura, a boca do cão, fechada ou aberta, também pode demonstrar coisas sobre o comportamento do pet.

Leia mais
Cães braquicefálicos: Entenda as caracaterísticas desses animais que exigem cuidados diferenciados
Gatos sentem frio? Saiba como cuidar do seu pet em dias de baixa temperatura
Saiba como prestar os primeiros socorros em casos de acidentes e situações inesperadas com o pet

Quando a boca do cachorro está aberta e ele está levemente ofegante pode significar que ele está relaxado e amigável. Carolina explica, no entanto, que se o pet estiver com olhos de baleia, que é quando mostra a parte branca do olho, com orelhas e rabo para baixo e com o corpo rígido, ele certamente está assustado ou, no mínimo, desconfortável com algo. 

“Comecem a perceber, há muitos vídeos ‘fofos’ pela internet de cachorros vestidos com fantasias ou expostos à uma situação desconfortável, que estão apresentando todos esses sinais, e as pessoas não leem desta forma e acham que está tudo bem, mas, na verdade, ele não está se sentindo confortável”, afirmou a profissional. 

Por outro lado, a doutora afirma que se um cachorro subitamente fecha a boca, para o rabo no alto, rígido, orelhas também atentas, é uma situação de alerta e ele está demonstrando que está nervoso. “Se for um cão com histórico de agressividade, este é um momento de corrigir”, afirmou.

Síndrome da Língua Pendurada 
A Síndrome da Língua Pendurada é uma condição em que o animal não consegue manter a língua dentro da boca. Paloma explica que a doença pode ocorrer por má formação ou acidentes com a mandíbula e dentes.

"A língua grande demais para a cavidade oral é comum em raças braquicefálicas, ou seja, aquelas que possuem o crânio pequeno, a exemplo dos pug, shih tzu e bulldogs", afirmou a médica veterinária. 

Por causa da síndrome, a língua dos cães pode ficar muito seca e eles podem sofrer com recorrentes feridas. De acordo com Paloma, em alguns casos é necessário fazer cirurgia, como no caso dos animais que têm a língua grande demais, ou têm deformações na mandíbula, mas na maioria das vezes, não é necessário tratar, só ficar atento para evitar machucados e desconfortos no animal. 

É importante, portanto, avaliar cada caso individualmente com um médico veterinário para indicar se é necessário intervenção cirúrgica ou através de medicamentos. E, vale ressaltar que o seu cachorrinho pode viver normalmente mesmo com a Síndrome da Língua Pendura. 

Classificação Indicativa: Livre