Brasil

Justiça inocenta Padre Robson e arquiva processo sobre lavagem de dinheiro

Reprodução/Redes sociais

O padre foi alvo da Operação Vendilhões, do Ministério Público, que indicava que ele havia movimentado R$ 2 bilhões em 10 anos

Publicado em 06/10/2020, às 19h49    Reprodução/Redes sociais    Redação BNews

O Tribunal de Justiça de Goiás decidiu em decisão unânime na tarde desta terça-feira (6), arquivar a investigação contra o padre Robson de Oliveira, que era acusado de lavagem de dinheiro. O padre foi alvo da Operação Vendilhões, do Ministério Público, que indicava que ele havia movimentado R$ 2 bilhões em 10 anos, por meio da Associação Filhos do Pai Eterno (Afipe), com sede em Trindade (GO).

De acordo com informações do Correio Braziliense, o julgamento durou cerca de 40 minutos e teve a decisão proferida pelo desembargador Nicomedes Domingos Borges, acompanhado por unanimidade pela 1ª Câmara Criminal. Com isso a ação do MP contra o religioso foi arquivada.

"Com isso, fica reconhecido que não houve a qualquer ilicitude praticada pelo religioso, que sempre se dispôs a esclarecer toda e qualquer dúvida sobre a sua atuação na Afipe ou em qualquer outro âmbito de evangelização", resumiu o advogado de defesa Pedro Paulo de Medeiros.

"A decisão do tribunal reconhece o que a defesa já havia dito há algum tempo. Esperam, com isso, que o sacerdote possa ter a sua biografia restaurada", completou o advogado.

Operação Vendilhões

A investigação feita pelo Ministério Público apontava que a Afipe recebia doações altas de fiéis, chegando a receber R$ 20 milhões em doações por mês. O órgão apontou ainda que parte dos recursos teriam sido usados na compra de casa de praia, fazendas e cabeças de gado. 

Classificação Indicativa: Livre