Na Sombra do Poder

Na Sombra do Poder: Faroeste Caboclo

[Na Sombra do Poder: Faroeste Caboclo]
Por: Ilustrativa/ Divulgação/ Reprodução/ Redes sociais/ BNews/ Arquivo Por: Editoria de Política 0comentários

Faroeste Caboclo

O medo tomou conta do alto clero do empresariado baiano após uma desembargadora do Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA) dar indícios de que toparia uma delação premiada ao Ministério Público Federal (MPF). Do ramo da construção à área de educação tem gente sem dormir com medo de ser “caguetado”. Nesta quarta-feira (5), o Superior Tribunal de Justiça (STJ) decidiu manter por mais um ano o afastamento dos desembargadores envolvidos na Operação Faroeste.

Procura-se um vice 

O governador Rui Costa está com os “neurônios queimando” em busca de um vice para compor a chapa com a Major Denice e fazer frente ao grupo de ACM Neto, que tem Bruno Reis como pré-candidato à prefeitura de Salvador. Enquanto a cabeça de chapa tem sido bastante concorrida entre os partidos da base, a vice tem sido um problema para Rui, que ainda enfrenta protestos por tentar emplacar Denice.
 

Balbúrdia Legislativa I

Votação da reforma da Previdência dos servidores estaduais, pauta impopular + presença de policiais militares + protesto de policiais civis sindicalistas irritados. Será que essa receita causaria confusão? A equipe responsável pela segurança da Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA) achou que não. Os detectores de metais não funcionaram e foi liberada uma catraca para a entrada de qualquer um à Casa. Resultado: um homem sacou a arma para parlamentares na última sexta-feira (31). Também teve "ovada", gás de pimenta e porta quebrada.

Balbúrdia Legislativa II

No meio da confusão entre policiais e parlamentares estava a imprensa. Com a invasão do plenário pelos sindicalistas - incluindo a ocupação da tribuna de imprensa - os profissionais foram isolados e não tiveram autorização para acompanhar a votação da reforma da Previdência. Enquanto os deputados votavam a proposta às escuras, os repórteres estavam rodeados, sem garantia de segurança, por policiais da Choque e civis. A preocupação com a imprensa é só na teoria.

No pé de Olivia

Na conturbada votação da PEC da Previdência estadual, a deputada Olivia Santana chamou atenção ao não votar com o governo, alegando coerência. Mas o fogo amigo não liberou. A conversa é que “enquanto a deputada tirou o corpo fora da polêmica pauta”, seus camaradas do PCdoB e dos outros partidos da base do governo Rui deram a cara a tapa. Um exemplo foi Fabrício Falcão, que foi ameaçado por um dos manifestantes que estavam com arma em punho.

Na rede social, a deputada se defendeu. Justificou que não votou porque não concorda com o processo de decisão sobre uma matéria tão sensível, que afeta os direitos dos trabalhadores. “Somos parte da bancada do governo, mas respeitamos os trabalhadores que lutam por garantia de direitos”. Doa a quem doer, a deputada mostrou coerência. Contudo, quando foi questionada pelo deputado Paulo Câmara (PSD) sobre a defesa do Odorico Tavares, a parlamentar fingiu que não era com ela e continuou a teclar em seu celular. 

O zap não perdoa 

Já viralizou nos grupos de WhatsApp a foto de um outdoor do deputado estadual Robinson Almeida dizendo NÃO à reforma da Previdência do Governo Bolsonaro. Fato intrigante é que o mesmo parlamentar votou a favor da reforma estadual do Governo Rui Costa. Incoerência? Com a palavra, o deputado. 


Ciumeira na base  

O senador Angelo Coronel não aliviou ao criticar o governador Rui, que usou o discurso de “nessas eleições municipais vai pesar o sentimento maternal” ao justificar a escolha da Major Denice como uma das candidatas à prefeitura de Salvador. À NSP, ele bradou: “estou defendendo quem comeu sal e poeira", fazendo referência ao fato de Denice não ter história na política.

Falando em base... 

Como bem aparece na foto, Rui Correria exagerou no protetor solar, ou seria na base? Falando em base, alguns aliados não estão nada contentes com a pouca moral dada pelo governador. 

Toma lá, dá cá
Fontes da NSP dão conta que um dos nomes que estão sendo analisados para a vice de Bruno Reis na majoritária é o da secretária municipal da Reparação, Ivete Sacramento. A ideia é fortalecer a chapa com uma mulher, negra e mais engajada em movimentos sociais.

Feijoada x Iemanjá

A Festa de Iemanjá - que a prefeitura já tentou chamar apenas de "2 de fevereiro", mas foi "obrigada" pelo Ministério Público da Bahia (MP-BA) a manter o nome tradicional, assinando um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) - merece atenção das autoridades, mas nem tanto. Participando de uma feijoada "vip", promovida por Itamar Mussi no circuito da festa, o prefeito ACM Neto, acompanhado de Bruno Reis e Geraldo Júnior, se dedicou à celebração apenas o suficiente para aparecer nas câmeras das televisões. Assim que o presente, mérito dos pescadores, chegou à areia da praia, logo correram para voltar ao ar condicionado e à boa comida oferecida na festa selecionada.

Protegidos por Iemanjá


A noite do dia 1° de fevereiro, que antecede a Festa de Iemanjá, já se tornou um evento à parte na cidade, com programação que adentra a madrugada e emenda com a celebração. Só quem ainda não se tocou foi a Polícia Militar. Apesar da operação no dia 2, na véspera não se via nenhum capacete branco pelo Rio Vermelho. Quem precisou de ajuda, teve que contar com o axé do povo e com a proteção da Rainha do mar.


Soluciona ou dificulta?

Terceirizada contratada a peso de ouro pela prefeitura de Salvador para substituir a CS Construções na contratação de funcionários, a empresa Soluções só tem de "solução" mesmo o nome e vem se transformando em um pesadelo para os trabalhadores. O plano de saúde, GH Saúde, fica devendo [e muito] aos serviços do SUS. Demora para marcação de exames e consultas, falta de unidades que aceitam o plano e escassez de médicos nessas unidades estão entre as reclamações dos trabalhadores terceirizados da gestão municipal.
 

Gafe 

O vice-prefeito e pré-candidato à prefeitura de Salvador, Bruno Reis, levou um susto, na segunda-feira (3), ao ouvir chamarem seu nome para compor a mesa da cerimônia de posse do Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA). Ele, que estava na plateia, sentado, teve que sair correndo para juntar-se a ACM Neto, Rui Costa, Geraldo Júnior, entre tantos outros nomes que compuseram a mesa do evento. Será um indício dos resultados de outubro? Claro que Bruno Reis, mesmo assustado, deu aquele sorriso e foi. Mas durou pouco. Logo depois, ele teve que voltar para a plateia porque houve um erro do cerimonialista do evento. 

Ainda sobre o evento, o prefeito ACM Neto teve dificuldade para acompanhar a cerimônia. Por causa da altura do arranjo de flores, o gestor municipal precisou esticar o pescocinho para aparecer para a plateia. Não é fácil ser baixinho, soberano! Mas já diz um velho e bom ditado: “nos pequenos frascos estão os melhores perfumes”...

O que Rui tanto ria? 

A pergunta que não quer calar: diante de tanta polêmica nos últimos meses, o que fez Rui rir tanto na reabertura dos trabalhos na AL-BA? Eis a questão. 


Sono solto

As câmeras do BNews flagraram o vereador Vado Malassombrado dormindo enquanto o prefeito ACM Neto fazia o discurso de reabertura dos trabalhos na Câmara Municipal. Sono solto, hein Vado? 

Hoje tem batuque, tem magia (parte 2)

Sobre Bruno Reis e seus batuques, o vice-prefeito parece que está mesmo se especializando na área. A performance dessa vez está melhor do que a mostrada na coluna passada. Veremos as próximas aparições!  
 

Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.

Leia os termos de uso

jusnews

Na Sombra do Poder

PodCast

Mais Lidas