Coronavírus

Agência Europeia avalia possibilidade de 3ª dose contra Covid-19 a partir dos 16 anos

Reprodução/Andre Borges/Agência Brasília.

O esquema em estudo diz respeito a uma terceira dose de vacina produzida pela farmacêutica Pfizer, e administrada seis meses após a imunização completa

Publicado em 06/09/2021, às 17h18    Reprodução/Andre Borges/Agência Brasília.    Redação BNews

A Agência Europeia de Medicamentos (EMA) começou uma avaliação acelerada nesta segunda-feira (6) sobre a aplicação de uma dose de reforço de vacina contra o novo coronavírus para pessoas com 16 anos ou mais.

De acordo com informações do jornal Folha de São Paulo, o esquema em estudo diz respeito a uma terceira dose de vacina produzida pela farmacêutica Pfizer, e administrada seis meses após a imunização completa. 

A agência se refere ao procedimento como um reforço, pois seu objetivo é restaurar, em pessoas saudáveis, os níveis de imunidade que podem ter baixado ao longo do tempo.

A EMA também está avaliando a recomendação de uma terceira dose de vacina m-RNA - Pfizer ou Moderna - como parte do programa básico de imunização de pessoas com baixa imunidade, que não alcançam um nível adequado de proteção com o esquema padrão.

Doses extras estão sendo aplicadas em aproximadamente 30 países, inclusive  no Brasil, para diferentes grupos. Contudo, cientistas e entidades como a Organização Mundial da Saúde (OMS) afirmam que ainda faltam evidências sobre a segurança e eficácia.

O comitê de medicamentos humanos da EMA vai avaliar resultados de um ensaio clínico em curso, no qual cerca de 300 adultos com sistema imunológico saudável ​​receberam uma dose de reforço aproximadamente 6 meses após o segunda dose.

Ainda de acordo com a publicação, a agência anunciou que o resultado deve sair “nas próximas semanas”.

Notícias Relaciondas

Vacinação contra Covid em Salvador é suspensa nos dias 6 e 7 de setembro

Bahia recebe mais 1 milhão de doses de vacinas contra a Covid-19 até esta terça-feira

Bahia suspende aplicação de vacinas de três lotes da Coronavac a pedido da Anvisa

Classificação Indicativa: Livre