Coronavírus

Prates ameaça ir à Justiça após governo federal colocar responsabilidade sanitária em cruzeiros aos municípios

Amanda Oliveira

Publicado em 06/10/2021, às 10h16    Amanda Oliveira    Redação BNews

O secretário de Saúde de Salvador, Leo Prates, ameaçou nesta quarta-feira (6) ir à Justiça após o governo federal baixar um decreto responsabilizando os municípios pelo controle sanitário de cruzeiros marítimos.

“Nos outros países o controle é feito no lugar de partida. Decisão incoerente do governo federal. Vamos até a Justiça se for necessário, porque o controle de portos é do governo federal, não pode ser modificada por decreto”, pontuou.

Os cruzeiros voltarão a navegar no país entre novembro de 2021 e abril de 2022, possibilitando que brasileiros se juntem às mais de 2 milhões de pessoas que já navegam pelo mundo desde que os cruzeiros retomaram suas operações com sucesso em cerca de 50 países. A retomada dos cruzeiros deverá gerar cerca de 35 mil empregos e injetar R$ 2,5 bilhões na economia nacional, número 11% maior do que o registrado na última estação, realizada em 2019/2020.

Carnaval e Réveillon - Prates falou também sobre a expectativa para o Carnaval e Réveillon na capital baiana. Para ele, um ambiente controlado com as duas doses da vacinação ajuda no otimismo para realização das festas.

“Estamos bastante otimistas, animados. Há uma normalização do recebimento de vacinas. Mantido os controles. Mas estou animado com essa coisa do réveillon e do Carnaval”, pontuou.

O secretário, no entanto, discordou da “rapidez” do Rio de Janeiro, em falar em desobrigar o uso da máscara. “Não é máscara que é nosso problema. A gente viu Israel e EUA quando tiraram as máscaras”, opinou.

Leia mais:

Prefeitura definirá sobre realização do carnaval e Réveillon até novembro, diz Bruno Reis

“Salvador reúne condições para ter carnaval", avalia empresário ligado ao setor de eventos

Público nos estádios - Prates disse que terá uma reunião nesta quarta com a Secretaria de Saúde do Estado (Sesab), mas se mostrou favorável ao retorno do público ao estádio com 30% da capacidade e duas doses da vacina.

Veja também:

Rui Costa diz que público pode retornar aos estádios se casos caírem por mais uma semana

Classificação Indicativa: Livre