Justiça

Após campanha nas ruas, TJ-BA esclarece nomeação de servidores aprovados em concursos

Reprodução

O tribunal garantiu que as 200 vagas previstas em edital já foram preenchidas

Publicado em 02/04/2018, às 17h07    Reprodução    Redação BNews

Concursados do Tribunal de Justiça da Bahia espalharam outdoors acusando a corte de não nomear aqueles que estão no cadastro de reserva. Na campanha, que se espalhou também pelas redes sociais, tinha o slogan “#NOMEIA TJBA”. Nesta segunda-feira (2), TJ-BA emitiu uma nota de esclarecimento em resposta à ação dos servidores e garantiu que as 200 vagas previstas em edital já foram preenchidas.

O Tribunal de Justiça do Estado da Bahia também afirmou que já realizou a nomeação de mais 20% do cadastro reserva realizado de acordo com o edital nº 01 de 23/10/2014 e vigente até julho de 2019. Segundo o TJ, no total foram 135.089 inscritos.

A nomeação dos aprovados em cadastro de reserva permanece na gestão do Presidente do TJBA, Desembargador Gesivaldo Britto.

“A Presidência do TJBA entende que esse tipo de pressão não é condizente com a lisura do processo e lamenta qualquer campanha que não corresponda aos fatos reais. Vale ressaltar que não são mais de 2.000 aprovados e não existe espera de três anos por uma nomeação. Trata-se de 200 aprovados que já foram nomeados e o restante para o cadastro de reserva. Para facilitar o entendimento, somente no cargo de Analista Judiciário foram 107 vagas e já foram convocados 164, número que entrou no cadastro reserva com mais 57 vagas. No cargo de técnico Judiciário foram 93 vagas e já foram convocados 156 aprovados, inclusive 63 do cadastro de reserva. A imagem de transparência é pilar de qualquer democracia”, explica um trecho da nota. 

“As contratações vão permanecer para preencher gradativamente o deficit de servidores com a convocação dos candidatos no cadastro reserva até a data final de validade do concurso, que expira em julho de 2019, mas de acordo com o orçamento disponível. Os convocados vão ser distribuídos entre varas, cartórios e demais setores nas comarcas onde há carência de pessoal”, concluiu a nota. 

Classificação Indicativa: Livre