Justiça

Augusto Aras não foi consultado antes de operação contra Ricardo Salles

Divulgação

Baiano já havia pedido o arquivamento da investigação no final do ano passado

Publicado em 19/05/2021, às 16h43    Divulgação    Redação BNews

A Procuradoria-Geral da República não foi consultada antes da operação da Polícia Federal contra o ministro do Meio Ambiente Ricardo Salles, deflagrada nesta quarta-feira (19). O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Alexandre de Moraes, determinou que a PGR fosse informada do caso apenas após o cumprimento das diligências.

Moraes também ordenou a PF a fazer diligências contra outros servidores do Ministério do Meio Ambiente, e determinou o afastamento do presidente do Ibama, Eduardo Bim.

Segundo o jornal o Globo, fontes da investigação acreditam que a PGR não foi consultada por uma desconfiança de que Augusto Aras adiasse o andamento da apuração e vazasse informações da operação para o Palácio do Planalto. 

O baiano já havia pedido o arquivamento da investigação no final do ano passado. A PF, coctudo, conseguiu novas provas e Moraes decidiu reabrir o caso.

Classificação Indicativa: Livre