Justiça

Beto Simonetti registra candidatura à presidência da OAB

Reprodução/OAB

O advogado conseguiu apoio de 23 seccionais e não deve ter adversários na eleição

Publicado em 13/08/2021, às 20h32    Reprodução/OAB    Lucas Pacheco

O advogado José Alberto Simonetti, 43, registrou nesta sexta-feira (13) sua candidatura para a presidência do Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) com o apoio de 23 conselhos seccionais. A eleição está prevista para ocorrer em 31 de janeiro de 2022.

Como o Estatuto da Advocacia exige o mínimo de apoio de seis seccionais para o registro de candidatura, o advogado não terá adversário no pleito, já que apenas quatro não o apoiaram, sendo insuficientes para registro de um oponente.
Beto Simonetti, como é conhecido, integra a atual diretoria do Conselho Federal da Ordem como secretário-geral, sendo responsável pela coordenação do Exame da OAB e por demandas relacionadas a prerrogativas da advocacia. Ele também é o atual coordenador-geral das Comissões e Procuradorias do Conselho Federal.

No final de julho, em um ato da OAB em Goiás, ele falou sobre a necessidade de haver união na classe, destacando que todos os advogados do país e a OAB devem ser "escudo e defesa para que as prerrogativas sejam respeitadas" e que cabe à OAB "combater o arbítrio e defender a cidadania e os valores democráticos".

Simonetti, que participou ativamente da inclusão, na Lei de Abuso de Autoridade (Lei 13.869), de itens que criminalizam a violação das prerrogativas dos advogados, está em seu quarto mandato como conselheiro federal pela OAB-AM. Além de secretário-geral, também foi diretor-geral da Escola Nacional da Advocacia, corregedor-geral adjunto e ouvidor-geral do sistema OAB.

Entrou água em plena sexta-feira 13

Ao que parece, naufragou a tentativa do atual vice-presidente da OAB e ex-presidente da seccional baiana, Luiz Viana, de ser candidato ao comando da entidade. Nos bastidores, era dada como certa a candidatura de Viana no plano nacional, assim como ainda é a de seu pupilo e afilhado político, Fabrício Oliveira, à reeleição para chefia da OAB/BA. 

Entretanto, o cenário parece mudar, levando em conta a crítica de diversos advogados à atual gestão na Bahia e o interesse de alguns em assumir o comando da entidade

Exemplos disso são a atual vice-presidente, Ana Patrícia Leão, que já rompeu com o grupo, e o presidente da Caixa de Assistência dos Advogados da Bahia (CAAB), Luiz Coutinho, que não se sabe se ainda é aliado da gestão. Pesa sobretudo o revés de Luiz Viana desta sexta.

Classificação Indicativa: Livre