Justiça

Eleições OAB-BA: Pré-candidata à presidência, Daniela Borges destaca protagonismo feminino na disputa e cita desafios da advocacia baiana

Reprodução/Instagram

Publicado em 20/08/2021, às 22h11    Reprodução/Instagram    Lucas Pacheco

Após ser anunciada como pré-candidata à presidência da Ordem dos Advogados do Brasil seção Bahia em uma chapa encabeçada por mulheres, a advogada Daniela Borges conversou com o BNews sobre a pré-campanha, primeiras propostas e sobre representatividade feminina no comando da entidade. Daniela tem Christianne Gurgel como pré-candidata a vice. 

“Me enche de orgulho a gente ter, pela primeira vez na história das eleições, duas mulheres já como pré-candidatas, sendo uma a presidente e outra a vice-presidente da OAB da Bahia. E ao mesmo tempo  a gente pensar que deveria ser normal. Da mesma maneira que durante muito tempo foi normal ter homens concorrendo como presidente e vice-presidente, deveria ser normal a gente ter duas mulheres concorrendo, mas a gente sabe que não é assim e que isso é algo disruptivo, novo. E acho que esse é o momento que vem sendo aqui na Bahia construído já há algum tempo, quando a gente vai aumento a participação das mulheres nos espaços de decisão da OAB e com a paridade de gênero dessa gestão. Então, acho que esse caminho já vinha sendo pavimentado”.

Questionada sobre a importância de uma chapa com mulheres disputando os dois mais altos cargos de comando da OAB/BA, Daniela destacou a simbologia que isso representa, já que mais da metade da OAB é composta por advogadas. 

“A importância de uma chapa com duas mulheres como pré-candidatas a presidência e vice-presidência da OAB da Bahia, na minha avaliação, é o simbólico que isso representa. Da realidade hoje da advocacia, mais da metade dos quadros dos inscritos na OAB já são mulheres. Aqui na Bahia a maioria é também de advogadas. Então, é muito simbólico e importante a gente perceber que isso que é realidade no dia a dia da nossa advocacia, também pode estar aqui na representação da nossa instituição. Acho que isso é garantir uma maior representatividade, considerando a nossa história de 90 anos sem que uma mulher tivesse presidido nossa instituição aqui”. 

Ela ainda ressaltou que desde a última eleição, mesmo quando ainda não era obrigatório, seu grupo garantiu a paridade de gênero nos cargos de decisão da seccional baiana. E que isso a motivou lutar pela paridade no comando nacional do órgão. Daniela Borges pontuou ainda que sua chapa terá paridade de gênero e cotas raciais. 

“A OAB da Bahia já tem paridade de gênero, mesmo não tendo sido obrigatório nas últimas eleições. A gente tem 50% do conselho formado por mulheres, 50% formado por homens. E foi justamente essa realidade aqui na Bahia que me deu a força necessária para lutar pela paridade de gênero como regra obrigatória no Brasil todo a partir dessas eleições. Essa regra foi aprovada em dezembro do ano passado e nessas eleições todas as seccionais, obrigatoriamente, terão chapas com 50% de advogadas e 50% de homens. Então, isso é, sem dúvida nenhuma, um grande legado aqui que a gente deixa da realidade da Bahia, também contribuindo para essa mudança no âmbito nacional. Então, nessa chapa nós teremos 50% de mulheres, 50% de homens. Teremos 30% de cotas raciais, conforme aprovado também em dezembro”. 

Em outro trecho da entrevista, Daniela se disse feliz pela sua trajetória na OAB e por disputar as eleições de novembro ao comando da Ordem.

“Estou especialmente feliz por, primeiro ter tido a honra de presidir a Comissão da Mulher Advogada neste triênio, segundo por a gente ter conseguido levar essa realidade que já acontecia aqui na Bahia, da paridade de gênero, como algo que agora será obrigatório no Brasil todo. Isso, por si só, já me deixa muito feliz. E poder agora ser pré-candidata a presidência à OAB da Bahia e fazer essa história necessária de a gente ter maior representatividade, então, de alguma maneira, é o resultado dessa construção. Acho que isso é o que mais define meu sentimento. Acho que essa felicidade vem de eu perceber que essa candidatura ela se dá dentro de uma construção de uma história desse grupo. 

E completou: “O que me deixa mais feliz mesmo é ver que as candidaturas, a minha e a de Chris, vêm do resultado da construção desse grupo, do aumento da participação da mulher como prática e não só como discursos. E essas candidaturas vêm como resultado dessa construção coletiva que já vem ao longo dos anos. É como se isso fosse o coroamento do que já vem sendo construído por homens e mulheres comprometidos com igualdade de gênero e maior representatividade em nossa instituição”. 

Ao BNews, Daniela Borges também falou sobre propostas para advocacia e os maiores desafios que devem ser enfrentados pela próxima gestão. Ela apontou que a pandemia acentuou problemas já existentes na classe baiana.  

“Eu acredito que a gente vive desafios gigantes hoje na advocacia, desde antes da pandemia, mas que foram agravados por ela. E acho que, nesse contexto, a advocacia poder caminhar unida é algo que vai de fato nos fortalecer, nos proporcionar a força de uma união necessária para os enfrentamentos que a gente precisa fazer. Aqueles que dificultam, que trazem efetivamente os desafios da advocacia, não estão dentro da advocacia. Estão fora. Então, a gente precisa dessa força que vem com a união pra gente fazer esses enfrentamentos”. 

Também afirmou que irá ouvir toda a advocacia para construir o seu programa. “A gente tá iniciando uma caminhada, uma pré-campanha, a gente quer ouvir a advocacia, construir nosso programa, nossas propostas e, como resultado dessa caminhada, a gente vai fazer a inscrição da chapa quando chegar o prazo,  que deve ser em outubro. As eleições, pela norma regimental, será na segunda quinzena de novembro e, com isso, na segunda quinzena de outubro estaremos fazendo a inscrição da chapa”.    

“Nós ainda vamos construir nossas propostas, nosso programa. Mas, nós temos, desde sempre, o compromisso, como bandeira, da defesa das nossas prerrogativas, da valorização e fortalecimento da advocacia. E, nesse momento, do enfrentamento com firmeza e sabedoria do judiciário baiano naquilo que fere as prerrogativas e os direitos da advocacia. E, além disso, trabalhar sempre a parte das perspectivas da inclusão, da representatividade em nossa instituição”, acrescentou. 

Daniela Borges também fez elogios à sua companheira de chapa, Christianne Gurgel. “Nesse contexto, ter Christianne Gurgel como pré-candidata à vice-presidente é algo que me deixa realmente contente. Christianne é uma advogada competente, é uma liderança muito respeitada. Tenho certeza que caminhando juntas, vamos de fato trazer as inovações, e trazer força e, ao mesmo tempo, a sabedoria na construção de ações para valorizar a advocacia, para fazer o enfrentamento do judiciário, a defesa de nossas prerrogativas. Chris é uma pessoa incrível, que tem uma história de defesa dos direitos humanos.”

Ela mencionou também que a união de dois grupos políticos diferentes nessas eleições só fortalece a advocacia. Christianne é uma das lideranças de um grupo mais tradicional, que foi liderado pelo ex-presidente Saul Quadros.
“Isso vem dentro de um  contexto da união de duas forças políticas e entendo que isso só nos fortalece, essa união de duas forças políticas só fazem com que a gente possa caminhar mais fortes e com mais capacidade de alcançar os resultados que a gente espera. Eu nem vejo como dois grupos antagônicos, porque, no final das contas, a gente tem o mesmo proposito que nos une que é o fortalecimento da advocacia. Então eu acho que são duas forças politicas se unindo em torno desse proposito”. 

Ao final da entrevista, Daniela Borges fez elogios também ao seu grupo político, destacando, mais uma vez, a felicidade pela escolha do seu nome como representante da atual gestão nas eleições de novembro. 

“Eu tenho muito orgulho de fazer parte de um grupo com advogados e advogadas muito valorosos, com muito trabalho, muita legitimidade, muita dedicação à advocacia. E em um processo de escolha democrática desse grupo, meu nome ter vindo e eu hoje ser pré-candidata a presidência da OAB por esse grupo, é algo que me enche de alegria e também de compreensão de toda a responsabilidade que vem com isso. Mas, o que resume é, sem dúvida nenhuma, alegria, muita disposição pra essa caminhada. As eleições ainda vão ser em novembro, mas eu tenho a certeza de que a gente está no caminho certo”.


Classificação Indicativa: Livre