Justiça

Indicação de André Mendonça ao STF volta a ganhar força no Senado

Reprodução/ Marcos Oliveira/Agência Senado

Líderes de bancadas governistas, como Carlos Portinho (PL) e Telmário Mota (Pros) saíram de cima do muro e passaram a defender publicamente a definição da data da sabatina do ex-AGU na CCJ

Publicado em 01/09/2021, às 08h51    Reprodução/ Marcos Oliveira/Agência Senado    Redação BNews

O nome do ex-advogado-geral da União André Mendonça, indicado pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido) para o Supremo Tribunal Federal (STF), voltou a ganhar força no Senado Federal . 

De acordo com informações da revista Crusoé, líderes de bancadas governistas, como Carlos Portinho (PL) e Telmário Mota (Pros) saíram de cima do muro e passaram a defender publicamente a definição da data da sabatina de Mendonça na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Casa.

Anteriormente, o presidente do colegiado, o senador Davi Alcolumbre (DEM), avisou ao Palácio do Planalto que a sabatina do ex-AGU só será feita depois das manifestações do dia 7 de setembro - mas não definiu uma data. 

Também segundo a publicação, o ministro da Casa Civil, Ciro Nogueira (PP), também preferia um ministro do STF "mais garantista". Contudo, concluiu que um eventual fracasso do candidato do presidente da República poderia desgastar sua imagem de bom articulador político.

Notícias Relacionadas

Apoio declarado a André Mendonça no Senado diminui, diz jornal

Sabatina de André Mendonça na CCJ será feita depois do 7 de setembro, diz site

Classificação Indicativa: Livre