Justiça

Operação Inventário: MP-BA denuncia 5 suspeitos de operar esquema de fraudes processuais

Divulgação / MP-BA

Grupo vai responder por organização criminosa, fraude processual, estelionato e corrupção passiva

Publicado em 30/09/2021, às 16h46    Divulgação / MP-BA    Redação BNews

O Ministério Público do Estado da Bahia (MP-BA) denunciou nesta quinta-feira (30), no âmbito da Operação Inventário, cinco suspeitos de integrarem uma organização criminosa que frauda processos judiciais para beneficiar não herdeiros. O grupo vai responder por organização criminosa, fraude processual, estelionato e corrupção passiva.

O Grupo de Combate às Organizações Criminosas e Investigações Criminais (Gaeco) também pediu a manutenção da prisão preventiva de Heliana Souza Gonçalves, Daniel Campos Carneiro Mehlem e Fábio Almeida, presos na segunda fase da operação, no dia 16 deste mês, bem como a condenação de Carlos Alberto Almeida de Aragão e Marco Aurélio Fortuna Dórea.

Leia também: Saiba nomes e funções de investigados na segunda fase da Operação Inventário

Com base no levantamento dos alvarás fraudulentos, o MP estadual pediu a indisponibilidade de bens de Heliana, Daniel Campos e Fábio Almeida no valor de R$ 1 milhão, adquiridos, segundo o órgão, como produto e proveito dos crimes.

Na custódia de um dos investigados foram encontrados, conforme o Gaeco, três carteiras de criptoativos, no total de 522 bitcoins, que correspondem, atualmente, a um valor aproximado de R$ 140 milhões.

Leia mais:Nova fase da ‘Operação Inventário’ cumpre três mandados de prisão em Salvador, Lauro de Freitas e Ribeira do Pombal

Operação

Em suas duas fases, a primeira em setembro de 2020 e a segunda neste mês, a "Inventário" investigou fraudes em processos judiciais em trâmite no Poder Judiciário baiano, supostamente praticadas por organização criminosa formada por advogados, serventuários e particulares responsáveis por falsificação de documentos.

A operação apreendeu mais de 120 cartões em nome de terceiros e empresas, computadores, celulares e HDs e apurou indícios de prática de crimes de organização criminosa, corrupção ativa e passiva, fraude processual e uso de documento falso.

Matérias relacionadas:

Inventário: Juiz concede liberdade provisória a ex-servidor do TJ-BA acusado de fraudes

Inventário: Justiça nega domiciliar a ex-servidor do TJ-BA acusado de fraudes em processos

Classificação Indicativa: Livre