Justiça

André Mendonça afirma que não usou Lei de Segurança Nacional para perseguir críticos de Jair Bolsonaro (PL)

Reprodução

Ex-ministro está em sabatina na CCJ do Senado

Publicado em 01/12/2021, às 16h22    Reprodução    Lucas Pacheco

O ex-ministro da Justiça e ex-Advogado Geral da União (AGU), André Mendonça, afirmou, durante sua sabatina na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado, que está acontecendo nesta quarta-feira (1º), que a Lei de Segurança Nacional em momento algum foi usada para perseguir críticos do presidente Jair Bolsonaro (PL). Ele disse que agiu com “estrita obediência ao dever legal” ao determinar a abertura de inquéritos investigativos contra manifestantes contrários ao presidente da república.

Antes mesmo de ser questionado sobre o aumento do número de investigações abertas, Mendonça destacou que “jamais teve o intuito de perseguir ou intimidar” críticos do chefe do Executivo Nacional.

“O presidente da República sentindo-se ofendido, devia o ministro da Justiça instar a Polícia Federal para apurar o caso, sob pena de não o fazendo incidir em crime de prevaricação. Minha conduta sempre se deu em estrita obediência ao dever legal, jamais com o intuito de perseguir ou intimidar”, afirmou o ex-AGU.

Classificação Indicativa: Livre