Economia

Pousadas de Fernando de Noronha fazem boicote ao Booking.com

Reprodução

“A ilha é sensível, depende de preservação”, diz Dora Costa, secretária-executiva da Associação de Pousadeiros

Publicado em 19/07/2019, às 07h24    Reprodução    Redação BNews

Mais de 60 pousadas de Fernando de Noronha (PE) preparam movimento de retirada de anúncios do Booking.com, site de oferta de hospedagem. De acordo com a coluna Painel S.A, da Folha, é uma reação ao excesso de acomodações que não cumprem a mesma legislação que os hotéis e pressionam os preços para baixo. A associação local do setor diz que isso eleva o índice de turistas para além do que a ilha pode manter. O ato vai na contramão da intenção de Jair Bolsonaro, que fala em cortar taxas para atrair turistas.

“A ilha é sensível, depende de preservação e nossos recursos são limitados”, diz Dora Costa, secretária-executiva da Associação de Pousadeiros. Empresários da hotelaria enviaram carta ao Booking para contestar a alta quantidade de vagas cadastradas por pessoas físicas e não reguladas no site.

Ainda conforme a coluna, em Noronha, Ricardo Salles, ministro do Meio Ambiente, disse a jornalistas que vai fazer vistorias no parque, cujas taxas de entrada foram criticadas por Bolsonaro. Sua agenda oficial não foi divulgada.

Representantes do turismo são favoráveis à cobrança. Argumentam que é uma contrapartida para manter o destino exótico. “Não é um turismo popular. A revisão de taxas não vai impactar o turismo, é o tipo de região que precisa de controle”, diz Luiz Campos, da Abav, associação de agências de viagens.

Em nota, a Booking.com diz que todas as propriedades listadas assinam um termo de condições no qual atestam que cumprem com a legislação local e estão aptas para receber os hóspedes.

Classificação Indicativa: Livre