Entretenimento

Ex-autor da Globo faz exigências pra voltar a emissora: “Não quebraria essa regra”

Reprodução Instagram
Aguinaldo Silva abre o jogo sobre seu futuro na TV Globo e detona colegas de profissão  |   Bnews - Divulgação Reprodução Instagram
Juliana Barbosa

por Juliana Barbosa

[email protected]

Publicado em 06/07/2024, às 18h04



Após uma parceria de 41 anos com a Rede Globo, Aguinaldo Silva, fora da emissora desde 2020, revelou em entrevista à revista Veja suas perspectivas quanto a um possível retorno e suas opiniões sobre o estado atual das novelas. Sem papas na língua, o autor que, apesar dos acontecimentos passados, ele consideraria voltar a trabalhar na Globo. No entanto, ele ressaltou que avaliaria as condições, sendo conhecido por escrever exclusivamente para o horário nobre.

Inscreva-se no canal do BNews no WhatsApp.

Com 16 novelas produzidas nesse horário, Aguinaldo Silva destacou que não quebraria essa tradição: " Depois de tudo o que aconteceu, eu voltaria a trabalhar na emissora, sou um profissional. Mas, claro, teria que avaliar as condições. Na minha biografia, sou um autor que só escreveu novelas para o horário nobre".

O dramaturgo também revelou que possui uma sinopse enviada para a Globo e outras três prontas, incluindo uma em negociação com uma emissora de Portugal.

Quanto ao estado atual das novelas, Aguinaldo Silva demonstrou preocupação com a tentativa de muitos autores de renovar o gênero. Ele detonou os colegas e disse que acredita que o melodrama é essencial para as novelas, caracterizado por dramas intensos e paixões ardentes. Segundo ele, os temas centrais são as disputas familiares pelo poder e um grande amor que enfrenta desafios até o final da trama.

Ao avaliar as novelas em exibição, exceto algumas do horário das seis, Silva revelou um certo desgosto, afirmando que muitos autores tentam ser modernos e acabam perdendo a essência do gênero. Por fim, ele mencionou que apenas três pessoas conseguem captar essa essência em suas novelas atualmente: Glória Perez, João Emanuel Carneiro e Walcyr Carrasco.

Classificação Indicativa: Livre

FacebookTwitterWhatsApp