Esporte

Após confusão, sócios aprovam novo estatuto do Bahia

Imagem Após confusão, sócios aprovam novo estatuto do Bahia

Segundo documento sócios com 12 meses de filiação poderão votar para presidente já na próxima eleição

Publicado em 16/01/2013, às 16h22        Alessandro Isabel (Twitter: @alesandroisabel)

Na noite de terça-feira (15) foi realizada  na sede de praia do Esporte Clube Bahia, na Boca do Rio, a assembléia geral de sócios, na qual foi discutida a reforma do estatuto do clube. 
Inicialmente, os artigos que não tinham divergências, foram aprovados por unanimidade e os que precisavam ser discutidos foram debatidos pela diretoria e os sócios. Segundo o clube, a cada artigo discutido os 160 sócios, dos 300 filiados, eram consultados e ocorria a votação.
Dentre os assuntos debatidos, as principais mudanças são que os sócios com 12 meses de filiação poderão votar para presidente já na próxima eleição, para alguém ser candidato ao conselho precisa ser sócio há 36 meses e os membros do Programa Torcedor Oficial do Bahia (TOB) terão a opção de pagar a mensalidade de sócio patrimonial e também participar da vida política do clube. Alguns pleitos e sugestões da oposição presente foram acatados pela mesa diretora. Segundo o Presidente Marcelo Guimarães Filho, o modelo do novo estatuto do Bahia foi inspirado nos do Grêmio, Internacional e Corinthians.

Enquanto a assembleia caminhava para a aprovação do novo estatuto, do lado de fora da sede o clima tenso foi quem ditou o ritmo. Um grupo de torcedores fechou a entrada do local com faixas e cartazes pedindo que a votação seja anulada. A segurança foi reforçada com a presença de policiais militares. Os torcedores permaneceram no portão principal e ameaçaram invadir a sede. Os torecedores foram embora antes de sair o resultado.
Com o objetivo de anular a assembleia, o oposicionista e conselheiro, Fernando Jorge, entrou com uma ação judicial na 25ª Vara Cível, mas acabou ‘derrotado’ e o encontro foi confirmado provocando revolta em parte da torcida. O grupo Revolução Tricolor reclamou da postura da diretoria do clube em não divulgar a lista de sócios que poderiam votar. "Qualquer um que seja amigo dele pode votar a favor do que ele deseja. Não existe a imparcialidade e isso é vergonhoso", desabafou Nestor Mendes.
Em entrevista ao Bocão News, Marcelo Guimarães Filho disse que as reclamações do grupo contrário à direção não tem fundamento. “A oposição cobra uma eleição direta e quando convocamos eles querem impedir? Entram na justiça, o motivo é bagunçar, não é pensar o futuro do clube”, declarou.
Ainda segundo o cartola  a ideia é permitir que os sócios tenham direito de eleger o novo presidente, após seleção realizada pelo Conselho Deliberativo. "Aprovando-se o novo Estatuto, o sócio vai poder eleger o Conselho Deliberativo do clube. Os conselheiros elegerão dois candidatos a presidência. Depois disso, os sócios escolherão entre os estes dois, qual será o presidente do clube", declarou.
Com a aprovação do novo estatuto, Marcelo Guimarães Filho comemorou o resultado avaliado positivo. " Estou muito feliz de ter cumprido uma promessa da minha campanha. O sócio do Bahia votará para presidente na próxima eleição. Espero que o torcedor do Bahia busque se associar para fazer o Bahia grande", avaliou o dirigente.

Matéria originalmente publicada às 06h58 do dia 16/01.

Classificação Indicativa: Livre