Esporte

Muro das exaltações: família de Ronaldinho Gaúcho é duramente criticada por Juiz

Imagem Muro das exaltações: família de Ronaldinho Gaúcho é duramente criticada por Juiz

Segundo o juiz gaúcho, a família de Ronaldinho fez de tudo para não ser citada no processo

Publicado em 01/06/2013, às 06h27        Redação Bocão News (Twitter: @bocaonews)

Uma ação que discutia danos, prejuízos e consequências ocasionados pela queda de um muro, ocorrida em 2007, que dividia a propriedade de o ex-jogador Roberto de Assis Moreira, Deise de Assis Moreira e a mulher dele, Karla Duran Moreira com a do casal de vizinhos Adriano Ricardo de Carli e Vera Maria Erbes, causou, no mínimo antipatia ao Juiz sobre os familiares de Ronaldinho. Conforme matéria do site Terra Esportes.

Os irmãos de Ronaldinho, foram condenados pela 19ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul a pagar R$ 500 mil por danos materiais ao casal de vizinhos pelo problema envolvendo as duas propriedades, na esquina da Avenida Cavalhada com a Rua Eduardo Prado, na zona sul da cidade de Porto Alegre. O julgado manteve a sentença proferida pelo juiz de direito Alex Gonzalez Custódio, da Vara Cível do Foro Regional da Tristeza, em Porto Alegre.

Em sua decisão o juiz Alex Gonzalez Custódio critica duramente a família de Ronaldinho pelo total desrespeito com o Poder Judiciário durante a tramitação do processo: "Constata-se a desconsideração e o desrespeito que o dinheiro e fama em excesso podem causar em uma pessoa mesmo com seus vizinhos, em total descaso, mesmo conscientes de que causaram prejuízos a terceiros, necessitando essas pessoas virem a Juízo buscar a satisfação de seus direitos".

Segundo o juiz gaúcho, a família de Ronaldinho fez de tudo para não ser citada no processo. "Os requeridos entendem estarem acima da lei e da Justiça, ocultando-se para não serem citados", afirmou o magistrado ao decidir a questão. "O Sr. Roberto de Assis Moreira: é pessoa tão comum quanto um gari que recolhe os dejetos na frente do Fórum! Não é sua condição financeira que determina quando e como ele possa ser citado, intimado ou notificado".

O magistrado ressaltou ainda em sua decisão que a desconsideração com a justiça chegou ao ponto de ter a família Moreira que ser defendida pela Defensoria Pública, em razão de não ter conseguido localizá-la, mesmo depois de inúmeras tentativas, 'esquivando-se de citações e intimações, como se isso pudesse livrá-lo de responder pelo evento lesivo decorrente do colapso do muro edificado por eles'.

E afirma ainda o juiz Alex Gonzalez Custódio em sua decisão: "Aonde chega o cúmulo do descaso, desrespeito e total falta de consideração com os terceiros, e mesmo com o Poder Judiciário, entendendo-se inacessíveis e inalcançáveis os Irmãos De Assis Moreira, como se mantivessem um verdadeiro BARONATO em Porto Alegre, onde somente são encontrados se eles concordarem e quiserem ser encontrados, mormente com exagerada segurança que os cerca, mais do que a própria Presidente Dilma, quando visita seu ex-companheiro e amigo, Dr. Carlos Araújo, vizinho deste Julgador".

Por fim, o magistrado cita a indenização de R$ 40 milhões que Ronaldinho cobra na justiça do Rio de Janeiro do Flamengo, onde atuou profissionalmente no ano passado: "Necessariamente os réus terão que efetuar pagamento de honorários para o Fundo de Reaparelhamento da Defensoria Pública, porque é falta de vergonha ser defendido por um órgão destinado a defender pobres, enquanto o Sr. Roberto de Assis Moreira exige para seu irmão uma indenização no valor de 40 milhões de reais junto ao Flamengo, efetivamente com honorários dele incidentes sobre esse valor!".

Foto: Dilvulgação / Terra Notícias - Esporte

Classificação Indicativa: Livre