Esporte

Entenda como o Brasil colaborou na pressão contra a Espanha para punir acusados de racismo contra Vini Jr

Divulgação/Reprodução/Instagram/@vinijr
Brasil trabalhou nos bastidores para pressionar a Espanha na condenação de acusados de racismo contra o jogador brasileiro  |   Bnews - Divulgação Divulgação/Reprodução/Instagram/@vinijr
Gabriel Bacelar

por Gabriel Bacelar

[email protected]

Publicado em 12/06/2024, às 18h33



O Brasil teria ajudado Vini Jr na condenação nos casos de racismo, que aconteceram na Espanha. O Globo Esporte obteve acesso a documentos que mostram que o embaixador brasileiro no país europeu, Orlando Leite Ribeiro, participou de reuniões distintas com Florentino Pérez, presidente do Real Madrid, Javier Tebas, presidente da La Liga, além de Luis Rubiales, à época na liderança da Real Federação Espanhola de Futebol.

Inscreva-se no canal do BNews no WhatsApp!

As reuniões tinham como principal objetivo entender as sanções que poderiam ser aplicadas por quem estava no comando do caso, com o intuito de cobrar punições e os devidos responsabilizados pelo caso.

"Cumpre reconhecer que meus três interlocutores concordam que os episódios não deveriam ter lugar em nenhum contexto. No entanto, também é verdade que nem La Liga, nem a Federação e nem o Real Madrid parecem assumir com clareza nenhuma responsabilidade pelo ocorrido. A maior exposição mediática do problema do racismo no futebol espanhol tem evidenciado, pelo contrário, desentendimento, acusações e disputa de poder.", disse Orlando Ribeiro.

Essa fala de Orlando faz parte do documento enviado pela embaixada brasileira na Espanha com destino ao Ministério das Relações Exteriores, ainda em 31 de maio de 2023. O ge teve acesso a esse documento através da Lei de Acesso à Informação.

Na última segunda-feira (10), a Justiça da Espanha condenou três torcedores do Valência a 8 meses de prisão. Uma decisão histórica para o futebol em casos de racismo e também em território espanhol.

O Real Madrid emitiu um comunicado sobre o caso e comemorou a condenação dos acusados:

"O Real Madrid C.F. comunica que o Tribunal de Instrução nº 10 de Valência proferiu hoje, segunda-feira, 10 de junho de 2024, uma sentença condenatória contra os três jovens acusados de ofender, com gritos e gestos racistas, nosso jogador Vinícius Junior na partida da LaLiga realizada em 21 de maio de 2023 no estádio Mestalla entre Valencia C.F. e Real Madrid C.F.

Os três acusados foram declarados culpados de um delito contra a integridade moral de Vinícius Júnior, agravado por terem agido com motivações racistas, e foi decretada para cada um deles a pena de oito meses de prisão e a proibição de acessar estádios de futebol por um período de dois anos.

Os três acusados aceitaram sua responsabilidade penal e emitiram uma carta de desculpas dirigida ao nosso jogador Vinícius Júnior, ao Real Madrid C.F. e às demais pessoas que se sentiram insultadas e ofendidas com seu comportamento. Além de demonstrarem arrependimento, os três acusados pedem em sua carta aos torcedores que se erradique das competições todo vestígio de racismo e intolerância".

Essa é a primeira condenação por atos dessa natureza a ser proferida por cortes e tribunais criminais.

O Real Madrid, que atuou junto a Vinicius Junior como acusação particular neste processo, continuará trabalhando para proteger os valores do nosso clube e para erradicar qualquer comportamento racista no mundo do futebol e do esporte."

Vini também se posicionou em sua rede social e publicou uma forte declaração em que se coloca como algoz de racistas.

"Muitos pediram para que eu ignorasse, outros tantos disseram que minha luta era em vão e que eu deveria apenas "jogar futebol".

Mas, como sempre disse, não sou vítima de racismo. Eu sou algoz de racistas. Essa primeira condenação penal da história da Espanha não é por mim. E por todos os pretos.

Que os outros racistas tenham medo, vergonha e se escondam nas sombras. Caso contrário, estarei aqui para cobrar. Obrigado a La Liga e ao Real Madrid por ajudarem nessa condenação histórica. Vem mais por aí…", afirmou Vini Jr.

O jogador passou a sofrer com constantes atos de racismo durante a temporada espanhola, chegando a ter um boneco seu enforcado por torcedor do Atlético de Madrid antes de um clássico entre as equipes da capital. Vini já surgiu bastante abalado nas redes sociais e chegou a chorar durante coletiva da seleção brasileira. A condenação é um marco histórico para o combate ao racismo no futebol.

Classificação Indicativa: Livre

FacebookTwitterWhatsApp