Geral

Embasa garante que sistema de abastecimento em Salvador funciona

Imagem  Embasa garante que sistema de abastecimento em Salvador funciona

Segundo o órgão, áreas críticas com irregularidades representam menos de 1%

Publicado em 11/01/2013, às 18h01        Redação Bocão News (Twitter: @bocaonews)

A Empresa Baiana de Águas e Saneamento (Embasa) assegura que em Salvador o serviço de abastecimento de água não apresenta ineficiência. Contradizendo protestos que vem acontecendo em Salvador e Região Metropolitana.



Com baldes nas mãos, moradores do bairro de Boca da Mata protestaram na última segunda-feira (7), por conta da falta de água, o problema foi vivenciado por mais de uma semana na localidade.

No final da semana anterior,  os moradores de Barra do Jacuípe, povoado de Camaçari, bloquearam o fluxo de veículos na BA-099, no Litoral Norte da Bahia. O protesto durou cerca de duas horas no trecho de Barra de Jacuípe causou engarrafamentos na região, sentido Salvador.

Contudo,  a Embasa informa que Salvador, terceira mais populosa cidade do país, possui cerca de 1,1 milhão de imóveis cadastrados na Empresa Baiana de Águas e Saneamento (Embasa). Com isso, a cobertura do fornecimento de água canalizada e tratada da empresa chega a 98% na metrópole, número considerado um dos melhores do país.

Nessa semana, três incidentes afetaram a distribuição de água em algumas ruas da cidade, consideradas críticas, como a parte elevada de Boca da Mata, Sete de Abril, Pau da Lima, Canabrava, Jardim Nova Esperança e Coroado (São Marcos), abastecidas pelo reservatório da empresa localizado em Águas Claras. Essas localidades, que ainda apresentam alguma irregularidade no abastecimento, representam menos de 1% dos imóveis cadastrados da capital.

"A operação de distribuição de água na cidade está normal. Inclusive, aumentamos o fornecimento para Salvador por conta do verão em 20%. Esses problemas pontuais são reflexo da parada no sistema integrado de abastecimento de água ocasionada por queda de energia na noite da segunda-feira (7) na Estação de Tratamento Principal, em Candeias, e de vazamento na adutora principal na BR 324 que ocorreu durante o retorno da operação do sistema, na terça-feira, 08. Ainda na segunda-feira, pela manhã, concluímos a manutenção em um equipamento do reservatório de Águas Claras e, se não tivéssemos esses imprevistos, não teríamos esse desequilíbrio no sistema", explica o diretor de operação e expansão da RMS, Carlos Ramirez. "Em caso de desabastecimento, o usuário deve entrar em contato com a Embasa pelo 0800 0555 195 para verificarmos a situação".

Ações fraudulentas envolvendo a utilização da água canalizada e tratada pela Embasa foram responsáveis, em 2012, pelo desvio indevido de mais de 1,4 bilhão de litros de água em Salvador e Região Metropolitana, principalmente por ligações clandestinas ou fraudes em hidrômetros (aparelhos responsáveis pela medição da água consumida). No ano passado os 27,4 mil casos de fraudes registrados na capital baiana resultaram em prejuízo da ordem dos R$ 10 milhões, decorrente do volume de água não faturado. A estimativa é que a perda seja ainda maior, já que nem toda a atividade fraudulenta é descoberta, mesmo com uma rotina de fiscalizações periódicas.

Investimentos

Entre 2007 e 2014, a Embasa fará um investimento de R$ 1,12 bilhão em Salvador, sendo R$ 315 milhões somente em melhorias no sistema de abastecimento de água. De acordo com o diretor de operação e expansão da Região Metropolitana da Salvador, Carlos Ramirez, o sistema integrado de abastecimento de água da RMS tem, atualmente, três grandes obras em fase de finalização: a duplicação da adutora principal de água tratada, a duplicação da adutora de água bruta da barragem Joanes II e a ampliação da Estação de Tratamento Principal.

Juntas, essas obras vão ampliar em cerca de 30% a oferta de água da região, com ênfase na região do subúrbio rodoviário e ferroviário. Os três empreendimentos envolve investimentos da ordem dos R$ 74,3 milhões, provenientes do PAC Saneamento e da própria Embasa, e a previsão para conclusão total dos serviços é até junho de 2013.

“A duplicação da adutora de água tratada, no valor de R$ 24,4 milhões, já tem 93% dos serviços finalizados, sendo que houve atraso na obra devido à falência da empresa responsável por sua execução, o que demandou abertura de um novo processo licitatório”, explica Carlos Ramirez.

Já a obra na adutora de água bruta, por sua vez, conta com investimento de R$ 44,6 milhões, mas seu andamento foi adiado devido à necessidade de construção de uma nova torre de equilíbrio em substituição à antiga, que teve que ser demolida por conta de uma ruptura em sua estrutura. Mesmo com o atraso, esta última obra tem hoje 97% dos serviços já executados. A ampliação da Estação de Tratamento de Água, por sua vez, tem 93% dos trabalhos executados com investimentos de R$ 5,3 milhões.

Subúrbio

Além disso, está em andamento, com previsão de conclusão até o mês de abril, a ampliação do reservatório de Águas Claras, responsável pelo abastecimento de parte do subúrbio rodoviário de Salvador, que terá sua capacidade duplicada de 8.700m3 para 17.400m3.

Classificação Indicativa: Livre