Geral

Quebrando preconceito dos paredões: Saiba quem é a vocalista da banda A Travestis

Reprodução/Instagram

Tertuliana Lustosa, a vocalista da banda A Travestis, tem 25 anos e se reconhece como mulher trans há 7 anos

Publicado em 29/01/2022, às 06h00    Reprodução/Instagram    Yasmim Barreto

Você pode até não saber quem é ela ainda, mas se é soteropolitano com certeza já ouviu um de seus hits, como “Murro na Costela do Viado” ou já a viu na praia do Porto da Barra vendendo brigadeiro. Tertuliana Lustosa, 25 anos, é vocalista da banda A Travesti e vem através da música quebrando os estigmas da prostituição e da morte impostos para pessoas trans e travestis.

No Dia Nacional da Visibilidade Trans, comemorado no dia 29 de janeiro, o BNews conta de forma mais pessoal quem é esse novo nome da música, que tem revolucionado e criado referências no pagodão baiano.

“Persistência, inovação e pesquisa”, se define a leonina.

Tertuliana veio do interior do Piauí e foi aqui em Salvador que se descobriu como cantora de pagode através do camelô. “Eu entrei no universo do pagode, porque quando eu vendia brigadeiro, fazia várias paródias de pagodão assim como outros vendedores ambulantes, e aí eu comecei a compor até compor a música minha mesmo e gravar minha música”, contou.

Mas, antes disso, desde a infância a loira já sentia na pele o que era ser uma criança não-cisgênero. “Minha infância e adolescência foram bem diferentes das outras crianças com as quais eu convivia, porque eu me sentia muito retraída. Desde criança eu já sabia que eu queria ser uma pessoa trans”, relembrou ‘Tertu’.

Saindo da infância e adolescência, a leonina também relatou disparidades em sua vida amorosa. “Eu tinha muita dificuldade de relacionamento, comecei minha vida sexual muito tarde, tudo por conta dessa imposição de gênero, enquanto me identificava com outro gênero”, disse.

A virada de chave

Se reconhecendo como mulher trans há pelo menos sete anos, Tertuliana utiliza a música como uma ferramenta para contar sua realidade e de outras mulheres trans e travestis. E isso é o que ela e A Travestis têm em comum.

“São pessoas que cantam a sua realidade. A Tertuliana é uma cantora que também escritora, que também vende brigadeiro na Barra, que é empresária e que busca mudar de vida através da sua arte e A Travestis é uma cantora de pagodão, eu digo que um fragmento, uma parte da Tertuliana é a Travestis”, explicou.

Mas, a realidade que a cantora quer encontrar daqui há 10 anos é bem diferente da que ela encontra atualmente.

“Eu quero ter uma estabilidade financeira, espero conseguir emplacar e alguns sucessos musicais e crescer como artista que meu sonho. Daqui há dez anos eu queria que o Brasil não fosse país que mais mata travestis do mundo e que nossa expectativa de vida é trinta e cinco anos”.

Siga o BNews no Google Notícias e receba os principais destaques do dia em primeira mão!

Classificação Indicativa: Livre