Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Coronavírus

Secretária de Política para Mulheres alerta que aumento da violência doméstica na pandemia não é apenas "circunstância de tensão"

[ Secretária de Política para Mulheres alerta que aumento da violência doméstica na pandemia não é apenas "circunstância de tensão"]
01 de Julho de 2020 às 20:05 Por: Gilberto Jr/Arquivo BNews Por: Redação BNews

A secretária estadual de Política para Mulheres, Julieta Palmeira, alertou, durante entrevista ao jornalista José Eduardo, na rádio Metrópole, nesta quarta-feira (1), que aumento na violência doméstica durante a pandemia não é apenas uma "circunstância de tensão familiar".

"É uma evidência o aumento da violência doméstica, mas não estamos falando de tensão familiar, porque estão passando mais tempo em caso - isso é natural -, a questão da violência contra mulheres, violência doméstica, tem se atenuado em função dos lares onde a violência doméstica contra mulher está presente", disse a secretária.

De acordo com reportagem da revista Istoé, em abril, quando o isolamento social já durava mais de um mês, a quantidade de denúncias de violência contra a mulher recebidas no canal 180 cresceu quase 40% em relação ao mesmo mês de 2019, segundo dados do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MMDH). Em março, com a quarentena começando a partir da última semana do mês, o número de denúncias tinha avançado quase 18% e, em fevereiro, 13,5%, na mesma base de comparação.

Rede Mulher Solidária

Em junho, a Secretaria de Políticas para as Mulheres do Estado da Bahia (SPMBA) lançou a Rede Mulher Solidária, com a participação de outras nove instituições. O grupo reúne representantes da Defensoria Pública (DPE-BA), do Tribunal de Justiça (TJ-BA), Ministério Público da Bahia (MP-BA), da Federação das Indústrias do Estado da Bahia (FIEB), Fecomércio-BA por meio da CME - Câmara da Mulher Empresária  - e Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz/Bahia). A Rede tem o apoio do Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA), Corpo de Bombeiros e da Procuradoria Geral do Estado (PGE), além do Teatro Castro Alves e Shopping Barra.

A Rede Mulher Solidária atua na captação de recursos, itens alimentícios e de higiene pessoal e também na mobilização de pessoas e instituições a fim de garantir a aquisição dos materiais e produtos que vão compor o Kit Mulher Solidária para distribuição entre grupos, coletivos e associações de mulheres, em situação de vulnerabilidade social, nos bairros de Salvador e municípios mais atingidos pela Covid-19.

Já estão em funcionamento os postos para arrecadar donativos, instalado no Corpo de Bombeiros, na avenida ACM; no Teatro Castro Alves (com funcionamento das 8h às 14h) e Shopping Barra (das 12h às 18h). A Rede receberá, também, doações em dinheiro por meio de depósito no Banco do Brasil, agência 3832-6, conta 993.527-4, CNPJ 13.763.132/0001-17. A conta estará disponível ainda esta semana. Outras informações podem ser solicitadas por meio do e-mail: redemulher@spmba.ba.gov.br.

Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso