Colunas / Na Sombra do Poder

Na Sombra do Poder: O Kojak da Lancha

Reprodução
Os bastidores da política baiana  |   Bnews - Divulgação Reprodução

Publicado em 13/06/2024, às 05h50 - Atualizado às 15h39   Editoria de Política



Alopradinha do Insta
Uma estagiária de dondoca soteropolitana vem chamando a atenção da galera local com bizarrices tamanho G na rede social do grupo Meta. Caras e bocas, ostentação para todos os gostos, palhaçadas e futilidades inúmeras recheiam o farto cardápio da mocinha assanhada. O maridão, como sempre, faz cara de paisagem e fecha os olhos para os inúmeros “directs” que ela recebe de madrugada. Esse filme já foi visto na Vitória.

As mantas de Hitler
O líder dos nazistas, ao final da invasão da Normandia, durante o frio europeu, solicitou a seus asseclas uma quantidade de mantas para aquecer seu exército. O resultado foi decepcionante: muitos morreram de hipotermia, pois estavam todas furadas e não seguravam a neve e os fortes ventos. Passados 80 anos após a 2ª Guerra, eis que surgem playboys soteropolitanos que decidem imergir no país do Führer decadente e futucar umas tais “mantas” que iriam solucionar o problema mundial das tubulações das empresas de saneamento. Pois bem, trouxeram as abençoadas e conseguiram emplacar em alguns “contratinhos” que somados chegam a quase 400 milhões aos cofres do estado da Bahia. Fontes ligadas à Sombra já afirmam que as “mantinhas” nada resolvem e o MP já teria sido acionado para levantar a capivara da turma que está operando o trambolho na terra de Jerônimo. A Casa Civil já foi acionada e o super Loyola já entrou em ação para apurar essa colcha de remendos que estão botando no subterrâneo baiano. Logo, logo, vai espirrar água para tudo que é lado - e não tem manta nem nazista de botas que segurem o estrago.

Baixaria parlamentar
O deputado federal João Carlos Bacelar (PV/BA) foi um dos destaques na confusão generalizada durante a audiência desta terça (11) na CCJ da Câmara, com o ministro Paulo Pimenta, da Secretaria Extraordinária de Apoio à Reconstrução do Rio Grande do Sul. Opositores não tiveram papas na língua para proferir acusações severas a Pimenta e os ânimos se exaltaram bastante de ambos os lados. Em meio aos gritos, Bacelar foi citado nominalmente pela revolta às ofensas dirigidas ao ministro. "Deputado Bacelar está muito exaltado", disse a presidente do colegiado, Caroline de Toni (PL-SC). "Bacelar, aproveite para tomar uma água", brincaram colegas, quando a sessão teve uma pausa para que Pimenta fosse ao banheiro. Ao BNews, Bacelar disse, ainda indignado: "me exaltei porque o ministro não veio aqui para ser destratado e ter sua moral atingida".

Baixaria municipal
Eita que as eleições estão chegando e já estão deixando os vereadores da capital baiana à 'flor da pele'. Na segunda-feira (10), Anderson Ninho queria partir para cima de Kiki Bispo por conta de reduto eleitoral. Segundo fontes, o líder do governo estaria invadindo os bairros que elegem o adversário como uma forma de garantir mais votos. Inclusive o assunto circulou em toda a sessão e se tornou motivo de panelinhas entre eles.

Pegou ar
Ainda na Câmara de Vereadores, o presidente Carlos Muniz 'pegou ar' com uma suposta foto dos seus aliados em um órgão do Governo do Estado. Ele, que declarou apoio a Bruno Reis, não gostou nada da 'Fake News' espalhada na imprensa que dava conta de que os edis estariam apoiando outro pré-candidato. Muniz usou alguns minutos da sessão para deixar claro que quem caminha com ele, vota em Bruno Reis. Será que vai se manter assim? Aguardando as cenas dos próximos capítulos.

Vereadores em chamas
Essa semana, em um shopping discreto da cidade, quatro vereadores ligados à base do prefeito Bruno Reis se reuniram à tarde toda à base de 43 e tapas com vinhos. O prato principal eram algumas obras que o gestor do Thomé de Souza iria soltar até julho e como eles iriam ficar para operarem entre escadarias e corrimãos. Um mais antigo e experiente, lá pelas tantas, tratou de soltar o verbo e largou uma pérola: “Qualquer coisa liga para o Rei...”. A mesa do lado, composta por dois advogados criminais conhecidos, tratou de registrar o fato e passar à coluna. Resta saber quem é esse "Rei".

Distopia comunista
Colegas de partido e estado, os deputados federais pelo PCdoB Alice Portugal e Daniel Almeida - únicos representantes baianos da sigla na Câmara - não poderiam ser mais diferentes na postura dentro do Congresso. Discreto e conciso, Daniel passa quase que despercebido pelo Plenário e corredores da Câmara. O parlamentar anda com tranquilidade pela Casa e prefere manter diálogos a dois com os colegas. Já Alice, por outro lado, não consegue ficar sozinha. Sempre muito requisitada, a deputada vive em rodas de conversa, falando sem parar e pedindo vez no palanque. Quem nunca viu um filme americano com o irmão popular e o antissocial, os dois frequentando a mesma escola? Pois bem.

Baianos contra o “Fim do Mundo”
A Bahia esteve bem representada na luta conta a “MP do Fim do Mundo”. Na tarde desta terça (11), o presidente do Congresso, senador Rodrigo Pacheco (PSD/MG) recebeu dois baianos de peso no meio empresarial – o presidente da CNI (confederação Nacional da Indústria), Ricardo Alban, e o presidente da CNA (Confederação Nacional da Agricultura), João Martins. Os dois setores econômicos que atuam fortemente no comércio exterior, seriam os mais prejudicados com o fim da compensação dos créditos do PIS/COFINS em outros tributos federais. Após o encontro, Pacheco foi ao plenário e anunciou a devolução da MP. Segundo Alban, a decisão de Pacheco foi uma “vitória do bom senso”.

"Pode ligar pra mim"
Antes de deixar o Senado, o presidente da CNA, João Martins, foi interpelado pelo ex-vice-governador da Bahia, o deputado João Leão (PP), que em alto volume, atraiu a atenção dos presentes no Salão Azul ao afirmar sem qualquer cerimônia: “Dr. João, qualquer coisa que o senhor queira aqui na Congresso, pode ligar pra mim e ordenar que eu cumpro. Meu mandato está à sua disposição”. Constrangido, Martins agradeceu de forma lacônica: “Obrigado, xará”. 

Só depois da fogueira
Após protagonizar a cena de bajulação ao presidente da CNA, o deputado João Leão, que chegou hoje à Brasília, anunciou que amanhã já estará de volta à Bahia, mais precisamente em Luís Eduardo Magalhães, onde irá visitar a Bahia Farm Show. “De lá vou correr o interior e só volto aqui no dia 26”, anunciou.

Deputado gourmet
Um parlamentar baiano ganhou a alcunha de deputado gourmet. O porreta vive toda quinta-feira em um belo restaurante da orla soteropolitana, sempre bem acompanhado de moças de um clube “platinado”. Levando sempre um case com bons vinhos, o rapaz parece invisível. Em uma mistura antológica, consegue ficar até as 18h no local, em um regabofe de vinhos e mariscos refinadíssimos. No final, a conta vai para o gabinete da ALBA...

Os recados de Geraldinho
Geraldo Júnior passou um grande recado no lançamento de sua pré-candidatura. O local escolhido, a faraônica Arena Fonte Nova, serviu de palco para dar a dimensão do que o "líder" está disposto a investir na peleja contra Bruno Reis. A máquina estadual foi toda colocada a postos e servidores e lideranças do interior foram convocados a comparecer ao local.

Paradoxo Rubro-Negro
Um deputado petista, em condição de anonimato, mandou a real sobre o evento do Líder: "Geraldo Júnior é igual o Vitória: tá com tudo pra ir pra Série B, mas tem bola pra rolar", disse o parlamentar.

O porteiro Futuca
Alex Futuca bancou o porteiro durante o lançamento da pré-candidatura de Geraldo Júnior em Salvador. Era ele quem estava controlando a claque convidada para o espaço destinado a autoridades.

Separadas na maternidade
E Neusa Cadore, que tá cada dia mais parecida com a ex-presidente Dilma Rousseff?

O turismo de Bacelar
Após investir uns milhões no Festival de chocolate da Bahia fora do país, o secretário estadual de turismo resolveu jogar 1 milhão e 200 mil no Brasil Origem Week em Portugal. Entre vinhos do Porto e queijos da Canastra, a galera da secretaria se diverte e vai levando como quer. A farra pegou mal e chegou aos ouvidos do governador Jerônimo Rodrigues. Quem conhece o estilo simples e discreto do gestor baiano jura de pés juntos que ele vai apertar a galera do Bacelar nessa leva de projetos de chocolate e vinhos do Porto. Uma verdadeira indigestão gastronômica.

O Kojak da lancha
Passavam das 10h da manhã de quinta-feira passada e uma turma de quatro meninas bem assanhadas e vistosas cortavam o estacionamento da Bahia Marina, saindo de um Corolla preto. Carregando algumas bandejas de guloseimas e petiscos de uma famosa delicatéssen espanhola, desceram a rampa do píer C e partiram em direção a uma bela embarcação marítima cujo nome tem uma difícil pronúncia para nós, meros baianos. No “Fly” do barco, com um belo Ray-Ban aviador, um rapaz com uma careca avantajada, estilo Kojak, chamava a moçada para pular no deck em um tom meio apressado. Após partir pela Baía de Todos os Santos, o Yacht foi visto pelos lados de Salinas com muito som alto e Aperol à vontade. Nosso Kojak não brinca em serviço.

Classificação Indicativa: Livre

FacebookTwitterWhatsApp