BNews Nordeste

Justiça intima Gracinha Garcez após Carlão Vigilante reivindicar direito à suplência na Alese

Alese

Publicado em 29/09/2021, às 09h07    Alese    Redação BNews

Empossada recentemente na Assembleia Legislativa de Sergipe (Alese), Gracinha Garcez (PSD) será ouvida pela Justiça Eleitoral sobre o pedido de liminar feito pelo Podemos e Carlão Vigilante que apontam a saída dela do partido em 2020 e reivindicam o direito dele à suplência. O magistrado determinou a citação da parlamentar e do presidente do PSD para apresentarem resposta no prazo de cinco dias. 

“Pois bem, tendo em vista que os pedidos cautelar e principal baseiam-se na alegação de infidelidade partidária praticada pela requerida Maria das Graças Souza Garcez e que, conforme destacado pelos autores ‘a relação entre a Sra. MARIA DAS GRAÇAS SOUZA GARCEZ e o partido político do qual se afastou (PODEMOS) sempre se pautou por um trato amistoso, pacífico e respeitoso, de ambas as partes, não havendo justa causa para sua desfiliação a não ser por conveniência e oportunidade’, entendo por necessário ouvir os requeridos, para então apreciar o pedido cautelar”, argumentou o juiz Edivaldo dos Santos do Tribunal Regional Eleitoral de Sergipe (TRE-SE).

Gracinha entrou como suplente no lugar de Diná Almeida (Podemos), cassada pela Justiça Eleitoral por abuso de poder econômico na eleição de 2018.

Leia também
Cadeira na Alese após cassação de deputada gera disputa no Podemos
Deputada do Podemos é cassada após prometer dar casas para a população nas eleições de 2018

Classificação Indicativa: Livre