Polícia

Em vídeo direto do presídio, padrinho abre o jogo sobre morte de Marcos Vinicius

Rafael Pinheiro de Jesus, preso por ocultar o corpo do menino, reforçou que não matou a criança

Publicado em 21/08/2015, às 12h43    Reprodução    Redação Bocão News (twitter: @bocaonews)

Rafael Pinheiro de Jesus, 28 anos, que confessou ter enterrado o corpo do pequeno Marcos Vinicius, de 2 anos, falou direto do presídio, sobre a morte do garoto. Novamente, ele voltou a se defender. "Eu não o matei. Ele esfaleceu na minha casa". Quando interrogado por policiais e por um preso que precisou ser contido, ele voltou a dizer que teve medo de contar a verdade. "Não me entreguei por medo de tudo que está acontecendo e vai acontecer". 
Para Rafael, o laudo irá provar sua inocência com relação às causas da morte do garoto. 
Assista ao vídeo:

O caso

Desaparecido desde sexta (15), Marcos Vinicius teria sido levado por um casal em um Corolla preto, que pegou a criança dentro da feira de Itapuã. Esta foi a primeira versão de Rafael que, nas redes sociais, chegou a fazer um apelo para que seu afilhado fosse encontrado. "Tive medo. Ele engasgou com o leite aí entrei em desespero", afirmou em coletiva realizada na manhã desta quinta (20), na sede da Polícia Civil, na Piedade, em Salvador.
Segundo ele, que se diz usuário de drogas e homossexual, Marcos Vinicius vivia com ele há quatro meses porque a mãe não tinha condições de criar. Rafael garantiu também que no dia do ocorrido não usou drogas. "Tudo aconteceu na noite de quinta para sexta. Esperei amanhecer para descartar o corpo porque fiquei com medo da repressão do povo", relatou. Ainda de acordo com Rafael, ele já foi à feira com a ideia de inventar a história do desaparecimento. A mãe de Rafael, Dona Anira, o ajudou a sustentar a história do desaparecimento. Por conta disso, a polícia irá analisar o pedido de prisão dela.
Rafael já morou em São Paulo, onde também tem um Boletim de Ocorrência por ter sido vítima do golpe do 'boa noite Cinderela'. A polícia investiga ainda a possibilidade do crime de pedofilia em São Paulo. Ele ficará preso por homicídio ainda não caracterizado -  se doloso ou culposo e ocultação de cadáver. Poderá responder também por falsa denúncia. A causa da morte de Marcus Vinicíus será revelada só após perícia do Departamento de Polícia Técnica. O resultado sairá em 30 dias.

Após confissão de padrinho, corpo do menino é encontrado em Itapuã

Classificação Indicativa: Livre