Polícia

Suspeito de mandar assassinar juíza vai para presídio

Imagem Suspeito de mandar assassinar juíza vai para presídio

Ex-comandante do 22º BPM será encaminhado para Bangu 8

Publicado em 27/09/2011, às 17h02        Redação Bocão News

O tenente-coronel Claudio Luiz Oliveira, 45, suspeito de ser o mandante da morte da juíza Patrícia Acioli, com 21 tiros no dia 11 de agosto, em Niterói, foi exonerado do comando do 22º BPM (Maré) e está preso na carceragem do Batalhão de Choque, no Estácio, na Zona Norte do Rio, desde a madrugada desta terça-feira (27). Antes de ficar à frente do batalhão da Maré, ele comandou o 7º BPM (São Gonçalo). As informações são da assessoria da Polícia Militar.
Em depoimento ao juiz da 3ª Vara Criminal de Niterói, um dos cabos presos por envolvimento na morte da juíza acusa o ex-comandante do 7º BPM (São Gonçalo) de ser o mandante do crime.
Além do tenente-coronel, mais cinco policiais militares também tiveram a prisão decretada no fim da noite de segunda-feira (26). Os cinco PMs faziam parte do Grupo de Ações Táticas do Batalhão de São Gonçalo e são suspeitos de forjar um auto de resistência, morte em confronto, para esconder o assassinato de Diego Bellini,18, durante uma operação policial.
Três policiais militares suspeitos de matar a juíza Patrícia Acioli estão presos e foram transferidos da Unidade Prisional da PM em Benfica, na Zona Norte, para unidades diferentes, a pedido do Ministério Público, no dia 19 de setembro. A transferência é para evitar que eles combinem, antes dos depoimentos, a mesma versão sobre o caso.


O tenente-coronel, há 26 anos na corporação, chefiava o 7º BPM na época do assassinato de Patrícia, então titular da 4ª Vara Criminal de São Gonçalo. No fim de agosto, a PM anunciou a troca do comando de 23 batalhões, e Oliveira passou a chefiar o 22º BPM (Maré).
Segundo o corregedor da PM, Coronel Ronaldo Menezes, o ex-comandante foi exonerado e se entregou por volta de 3h da madrugada de hoje, no Batalhão de Choque, após determinação do comandante-geral da PM, coronel Mário Sérgio Duarte. A ordem partiu do Hospital Central da PM, onde Duarte está internado após cirurgia. A transferência do tenente-coronel para Bangu 8, e não uma unidade prisional da PM, segundo o corregedor, consta na decisão da Justiça.
Informações do G1

Classificação Indicativa: Livre