Polícia

Médico atropelado: "Foi erro de cálculo manobra", disse motorista

Imagem Médico atropelado: "Foi erro de cálculo manobra", disse motorista

Jocival Pinto está preso na 23ª delegacia à disposição da Justiça

Publicado em 23/01/2013, às 08h50        Redação Bocão News (@bocaonews)

O motorista Jocival Pinto, que atropelou o médico a esposa e a irmã do fisioterapeuta, foi preso na manhã desta terça-feira (22) e já prestou depoimento ao delegado titular da 23ª delegacia, Joelson Reis. Em conversa com a imprensa, o delegado adiantou o que já foi dito pelo motorista. Segundo Jocival, o atropelo "foi erro de manobra. Não foi proposital". O delegado disse ainda que Jocival confirmou que houve uma discussão não verbal - apenas com pequenos gestos e se mostrou o tempo inteiro tranquilo.

Entre os questionamentos que o delegado pretende fazer ao acusado é a falta de socorro às vítimas. "Já que não foi proposital porque ele fugiu"?, indagou Reis. O cobrador Márcio Ribeiro de Jesus também prestou depoimento e não quis falar com a imprensa.


Depois de quase duas horas de depoimento, de trocar de advogado e conversar com seu novo defensor, o motorista Jocival Pinto falou com a imprensa. “No momento do acidente eu não estava estressado, mas me senti ameaçado e tentei sair do local com pressa, quando perdi o controle do ônibus”, afirma Jocival.

O motorista ainda declarou que em nenhum momento premeditou o acidente, ou teve intenção de ferir alguém. “Todos os dias, nós, motoristas de ônibus somos ameaçados e passamos por muitos riscos no trânsito. Eu fiquei com medo, diante dos gestos dele e terminei me envolvendo no acidente, mas em nenhum momento programei, premeditei atropelar alguém”, alega o motorista.




Um cobrador de outra empresa de ônibus que não quis se identificar, falou com a reportagem do Bocão News. O rodoviário disse que estava no momento do acidente e que conhece Jocival há quatro anos, tempo em que o motorista trabalha na empresa Via Nova e também exerce a profissão. “Mesmo não estando muito perto eu vi que houve uma rápida discussão e o médico fez um gesto que pareceu ameaça e Jocival assustado acelerou o ônibus para sair do local e perdeu o controle causando o acidente. Conheço ele há quatro anos, desde quando ele começou como motorista e sempre teve um bom comportamento. Se vocês forem à empresa não vão encontrar nenhum registro de acidente de trânsito envolvendo ele. Sempre foi tranquilo e nunca presenciei nenhum problema com ele. Acho que ele se assustou e terminou acontecendo isso. Infelizmente sempre estamos correndo a riscos e não temos como saber quem é médico e quem vai atirar na gente”, afirma o cobrador.

O rodoviário comentou a falta de atenção de algumas empresas com relação à carga de estresse a qual são expostos os funcionários, principalmente os motoristas que dirigem horas, pegando trânsito complicado e expostos a violência, como os assaltos.

O delegado titular da 23ª Delegacia de Lauro de Freitas, Joelson Reis comentou o depoimento do motorista Jocival Pinto. “Jocival admitiu que houve discussão, no decorrer do inquérito iremos apurar se houve discussão eu como foi, com quem ele discutiu e principalmente se houve intenção de ferir alguém”, afirma o delegado.

O titular da 23ª DP, ainda comentou o comportamento do motorista durante o depoimento. “Ele procurou se manter calado, falou pausadamente sendo direto nas respostas e firme. Mas se mostrou arrependido com a situação. Eu questiono ainda a falta de socorro das vítimas, já que ele diz que não houve intenção de feri-las. Pois o cobrador afirmou em depoimento que antes de evadir-se, Jocival teve conhecimento da situação, pois o próprio cobrador o informou da consequência do acidente”, declara o delegado Joelson.  

O delegado ainda julgou que a princípio existe grande possibilidades de dolo, mas antes de afirmar prefere aguardar a perícia e os depoimentos das testemunhas. “Se não houve dolo, houve imperícia, e essa é a justificativa que ele usa, mas vamos apurar tudo”, comenta Joelson.

Sobre a empresa de transporte coletivo Via Nova, a qual trabalha o motorista Jocival, o delegado afirmou, que na esfera criminal, a princípio não ver como a empresa ser enquadrada. Mas o inquérito irá prosseguir e se no decorrer do processo houver necessidade, os representantes da empresa serão chamados.

O acidente aconteceu na última segunda-feira (14), quando o carro de Raimundo foi atingido pelo ônibus conduzido por Jocival. Após a colisão, o médico saltou do carro e fotografou o acontecido. 

CONFIRA IMAGENS

Quando o motorista questionou as fotos, Raimundo respondeu que era para a seguradora. A justificativa foi suficiente para que Jocival cometesse um crime que mudou a vida de Raimundo e da família do fisioterapeuta. Ele atropelou as vítimas e depois fugiu.

Jocival está custodiado à disposição da Justiça.

Matéria Atualizada - 22/01/2013, às 21h18.

Com informações da repórter Terena Cardoso
e do repórter Tony Silva
Texto de Caroline Gois / Tony Silva

Fotos: Robert o Viana // Bocão News

Classificação Indicativa: Livre