Polícia

Dono de boate e vocalista de banda são detidos após incêndio

Imagem Dono de boate e vocalista de banda são detidos após incêndio

Um dos proprietários da casa noturna estava em um hospital de Cruz Alta

Publicado em 28/01/2013, às 10h02        Redação Bocão News (@bocaonews)


A polícia deteve nesta manhã um dos donos da boate Kiss e dois integrantes da banda Gurizada Fandangueira, segundo informações do delegado Sandro Meinerz. Elissandro Sphor, conhecido como Kiko, foi preso nesta manhã de segunda-feira (28) em um hospital de Cruz Alta. O vocalista e um responsável pela segurança do palco da banda foram detidos em Mata.

Eles tiveram o pedido de prisão temporária de cinco dias decretada pelo juiz Regis Adil Bertolindurante a madrugada desta segunda-feira. O vocalista do grupo que se apresentava no momento do incêndio foi detido durante o velório do gaiteiro Danilo Jaques na cidade de Mata, na Região Central. O outro proprietário da casa noturna também teve prisão temporária decretada, mas ainda não foi localizado pela polícia.

"Desde a madrugada, estávamos monitorando as casas dos donos da boate e com equipes de policiais nas ruas tentando localizá-los", disse ao G1 o delegado.

O incêndio


Chega a 116 o número de vítimas do incêndio na Boate Kiss que estão internadas. Do total, 92 estão na própria cidade; 14 foram transferidas para Porto Alegre. A maioria dos pacientes sofreu intoxicação respiratória e cerca de 20% grandes queimaduras. Até o momento, 30 pacientes recebem ajuda de aparelhos para respirar. As informações são do ministro da Saúde, Alexandre Padilha.

Os hospitalizados podem aumentar nas próximas horas. “É muito comum as pessoas que respiram gás não sentirem os sintomas no primeiro momento. Mas, horas depois, elas podem desenvolver pneumonia química”, explicou o ministro.

Em Santa Maria, os feridos foram levados para os hospitais Caridade, Unidade de Pronto Atendimento, Universitário, do Exército e São Francisco. Na cidade de Porto Alegre, para onde devem ser transferidos 11 pacientes nas próximas horas, são utilizados os hospitais Cristo Redentor e o Municipal de Porto Alegre, especializados em queimaduras.

De acordo com o secretário nacional de Defesa Civil, Humberto Vianna, o número oficial de mortos na tragédia chega a 233 pessoas, 120 homens e 113 mulheres. Até o momento, foram reconhecidas 115 pessoas.

Segundo ele, o trabalho de reconhecimento deve perdurar até às 8h de amanhã. A maior dificuldade de identificação ocorre porque muitas mulheres estavam sem identificação. A explicação é que, normalmente, as mulheres carregam documentos em bolsas, que podem ter sido perdidas nos momentos de pânico e de tentativa de fuga.

A Defesa Civil ressaltou ainda que não há falta de medicamentos e que o estoque de sangue é suficiente.


Fonte e foto: G1

Classificação Indicativa: Livre