Polícia

Técnico de enfermagem acusado de estupro se apresenta à polícia

Reprodução

Uma jovem e uma idosa foram vítimas do acusado

Publicado em 07/06/2013, às 06h13    Reprodução    Redação Bocão News (Twitter: @bocaonews)

A Polícia Civil do Rio de Janeiro confirmou no fim da tarde desta quinta-feira (6) que o técnico de enfermagem Brivaldo Francisco Xavier Junior, acusado de estuprar duas pacientes no Hospital Quinta D'Or, se apresentou à polícia. Ele teria ido à delegacia espontaneamente, acompanhado de advogados. O técnico nega as acusações de estupro.

Brivaldo teve a prisão preventiva decretada pela Justiça e a polícia realizou buscas pelo acusado durante toda esta quinta-feira. O Ministério Público do Estado do Rio (MPRJ) denunciou o técnico por estupro de vulnerável, na quarta-feira (5). Se condenado, a pena pode chegar a 15 anos de prisão.

As vítimas são uma universitária de 36 anos e uma idosa de 66. A primeira mulher denunciou o caso às autoridades no fim de maio. Menos de uma semana depois, o técnico de enfermagem foi alvo de novas acusações.

Segundo o delegado, a idosa foi abusada sexualmente quando estava internada na unidade para fazer um tratamento contra o câncer, no período entre 14 e 17 de fevereiro.

A partir das novas denúncias, a polícia fez novamente o pedido de prisão preventiva contra Brivaldo Xavier. No primeiro pedido, a Justiça havia negado e pediu mais provas.

Em nota, o Hospital Quinta D'Or informou que está apurando todas as informações relacionadas ao caso e está mantendo total colaboração com as autoridades policiais. Procurada, a unidade informou que abriu um procedimento administrativo para apurar os fatos e que demitiu o acusado por justa causa.

As imagens das câmeras de segurança do hospital, que mostram o profissional entrando diversas vezes nos leitos das pacientes, foram anexadas aos autos. Em depoimento, ele contou que foi ao leito porque o alarme do monitor tocava constantemente.

De acordo com a denúncia do MP, Brivaldo fez "carícias íntimas" em uma universitária de 36 anos que se recuperava de uma cirurgia no CTI do Hospital Quinta D'Or, que não pôde oferecer resistência justamente pela condição de saúde em que estava.

Ainda segundo a denúncia, as imagens do circuito interno do hospital mostram que Brivaldo, que não estava designado para atender a paciente, foi várias vezes ao leito da vítima. Em uma das ocasiões, ele se aproveitou do fato de a vítima estar sedada para acariciar seu corpo.

Em outra imagem, ele e uma técnica de enfermagem foram ao leito para fazer a higiene pessoal da paciente, já que o a unidade exige a presença de dois técnicos para realizar a tarefa. No entanto, Brivaldo pediu à técnica para que verificasse a prescrição médica, o que permitiu que ele ficasse por cerca de dez minutos sozinho com a vítima e praticasse outros atos libidinosos.

O documento mostra ainda que Brivaldo se dirigiu ao leito da vítima uma terceira vez e disse que "estava sonhando com o próximo plantão para retornar".

Classificação Indicativa: Livre