Polícia

Corpo de PM morto passou por tortura e no ‘tribunal do crime’, aponta delegado

Redes sociais/COE//Reprodução/Redes Sociais
O jovem PM, identificado como Luca Romano Angerami, tinha 21 anos de idade  |   Bnews - Divulgação Redes sociais/COE//Reprodução/Redes Sociais

Publicado em 21/05/2024, às 06h27   Pedro Moraes



O soldado da Polícia Militar, Luca Romano Angerami, foi encontrado morto após ficar desaparecido por mais de um mês. Com marcas de tortura, o corpo teria passado pelo ‘tribunal do crime’, em Guarujá, no litoral de São Paulo. As informações foram apresentadas pela Polícia Civil nesta segunda-feira (20).

Inscreva-se no canal do BNews no WhatsApp. 

Com isso, o corpo da vítima foi enterrado na comunidade Vila Baiana, na mesma cidade. O agente apareceu pela última vez próximo a um ponto de tráfico de drogas no dia 14 de abril. Cerca de nove suspeitos de envolvimento no crime foram presos. 

Quanto ao corpo de Luca, ele foi encontrado por policiais da Delegacia Seccional de Santos (SP). “Além do homicídio houve sequestro, cárcere privado e tortura […]. Esse policial militar foi submetido ao chamado tribunal do crime”, garantiu o delegado Fabiano Barbeiro, da https://www.policiacivil.sp.gov.br/portal/faces/pages_home/institucional/departamentosOrgaos/departamentosOrgaosDetalhes?titulo=DEIC&collectionId=980175918762000603.

De modo geral, Barbeiro reforçou que o rapaz foi morto “simplesmente pelo fato de ser policial, e por estar no lugar errado na hora errada”.

Classificação Indicativa: Livre

FacebookTwitterWhatsApp