Polícia

Homem se apresenta à polícia e afirma ter participado dos assassinatos de Bruno Pereira e Dom Phillips

Imagem Homem se apresenta à polícia e afirma ter participado dos assassinatos de Bruno Pereira e Dom Phillips

Como não há nenhum mandado de prisão contra Gabriel, a Polícia Civil ouviu seu depoimento e informou que ele será apresentado à Polícia Federal

Publicado em 23/06/2022, às 11h37 - Atualizado às 11h39        Redação

Um homem identificado como Gabriel Pereira Dantas, 26 anos, se apresentou nesta quinta-feira (23) em uma delegacia no Centro de São Paulo informando aos policiais que participou dos assassinatos do indigenista Bruno Pereira e do jornalista inglês Dom Phillips no Amazonas.

Segundo boletim de ocorrência obtido pelo BNews, Gabriel declarou que se apresentou à polícia porque teria participado da morte dos “dois turistas”, disse se referindo ao jornalista e indigenista. Ela disse que é de Manaus, mas desde maio está vivendo em Atalaia, na região do Vale do Javari, fugindo do Comando Vermelho, que o teria jurado de morte.

No dia dos acontecimentos, estava bebendo com “Pelado”, que é Amarildo da Costa Oliveira e está preso. Ainda de acordo com o documento, Pelado o chamou para pilotar sua canoa e saíram.

Segundo Gabriel, ele não sabia o que “Pelado” ia fazer. “Pelado” teria atirado em Dom primeiro, com uma “16” e depois em Bruno, e em seguida chamou mais dois indivíduos. Além disso, Gabriel também disse que teria ajudado a dar fim nas coisas de Bruno e Dom, jogando as mochilas e coisas na margem do rio. Disse que depois do ocorrido fugiu por Santarém, depois pegou um ônibus para Manaus, depois para Rondonópolis e depois São Paulo. Ele ainda contou à polícia que estava na rua em São Paulo e não aguentava mais a situação.

Como não há mandado de prisão contra Gabriel, a Polícia Civil ouviu seu depoimento e informou que ele será apresentado à Polícia Federal (PF), que investiga o crime.

Bruno e Dom foram assassinados por pescadores ilegais no Vale do Javari. Segundo investigação da Polícia Federal, a dupla foi perseguida por pescadores ilegais e assassinados. As vítimas teriam sido mortas a tiros e os corpos, esquartejados e enterrados. A PF confirmou que os restos mortais encontrados são das vítimas. 

Presos

Três suspeitos de envolvimento na morte do jornalista britânico Dom Phillips e do indigenista brasileiro Bruno Araújo Pereira já foram presos pela PF. Mas, a polícia ainda investiga a participação de mais cinco pessoas suspeitas de ajudar na ocultação dos cadáveres. 

Amarildo, o Pelado
O pescador Amarildo da Costa Oliveira, conhecido como "Pelado", foi o primeiro a ser preso. Ele foi detido em flagrante ameaçando indígenas que ajudavam na busca por Dom e Bruno. Possui histórico de ameaças contra Bruno Pereira. Após quase uma semana preso, Amarildo confessou participação no crime.

Oseney, o "Da Costa"
Oseney da Costa, conhecido como "Da Costa", é irmão de Amarildo e também teria confirmado sua participação no crime à PF.  Continua preso em Atalaia do Norte até segunda ordem da Justiça do Amazonas. 

Jeferson, o "Pelado da Dinha"
Jeferson da Silva Lima, também conhecido como “Pelado da Dinha", foi preso em Atalaia do Norte. Seu mandado de prisão foi expedido pela Justiça do Amazonas.  

Classificação Indicativa: Livre