Salvador

Vídeo: moradores denunciam festa regada a som alto, álcool e prostituição em Itapuã

[Vídeo: moradores denunciam festa regada a som alto, álcool e prostituição em Itapuã]
Por: Leitor BNews Por: Redação BNews 0comentários

O barulho provocado por uma festa regada a som alto, álcool, drogas e até garotas de programas tem tirado o sono dos moradores da Alameda Afrânio Coutinho, no bairro de Itapuã, em Salvador. Um morador da localidade, que prefere não ser identificado, conta que as festas aconteciam apenas aos fins de semana. Agora, a tranquilidade é interrompida também entre segunda e sexta-feira, a qualquer hora.

“Tem até policial aqui, inclusive fazendo uso das viaturas para vir às festas em momento que deveriam estar fornecendo segurança à população, já que teoricamente estão de serviço. A rua fica cheia de carros, mulheres chegando de mototáxi. Um barulho infernal”, descreve. E continua: “o entra e sai de pessoas estranhas na rua causa muita insegurança. E, com policiais, ficamos nos sentindo ainda mais inseguro para falar qualquer coisa”.

À reportagem, foram enviados vídeo e foto de uma viatura da Polícia Militar da Bahia (PM-BA) em frente à casa. O registro foi feito no último dia 7. Segundo uma moradora, o incômodo já fez uma família deixar o local. “Muitos não denunciam porque temem represália. É uma situação horrível. Um desrespeito. Observe que a viatura ao invés de estar na rua a serviço da população, estava parada na porta, com policial participando da poluição sonora e perturbação do sossego”, denuncia.

PM e Semop

A reportagem questionou a Polícia Militar sobre a suposta presença militares no local e por qual motivo havia uma viatura no local no dia relatado pelos moradores. Em resposta, a PM esclareceu que há solicitações recorrentes de moradores em razão de perturbação do sossego, contudo os eventos são realizados no interior dos imóveis e, como a motivação dos chamados à PMBA são sanados com a intervenção realizada, não há necessidade de adentrar nas propriedades particulares.

A PM também explicou que a atuação da Polícia Militar é restrita a situações flagrantes de perturbação da vizinhança, "cumpre ao poder público municipal agir administrativamente para manter a ordem e disciplinar a utilização daqueles imóveis para evitar o desvirtuamento das finalidades e transtornos para a vizinhança".

Enquanto a PM confirma que há solicitações recorrentes, a Secretaria Municipal de Ordem Pública (Semop) afirmou que entre o dia 1º de janeiro deste ano e o último dia 10, recebeu apenas duas denúncias de poluição sonora. Acrescentou ainda, que em ação fiscal no dia 27 de abril, não encontrou nenhum barulho no local.

 

Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.

Leia os termos de uso

jusnews

Na Sombra do Poder

PodCast

Mais Lidas