Política

Oposição na AL-BA ainda debaterá possível CPI da Cerb

O líder da minoria na AL-BA, Leur Lomanto Jr. (PMDB), afirmou que o grupo "ainda não tratou disso"

Publicado em 24/04/2017, às 10h03    Gilberto Júnior/Bocão News    Alexandre Galvão

As revelações do ex-executivo da Odebrecht, André Vital, sobre as supostas negociações entre a empresa e o governo baiano para contribuições para a campanha do agora governador Rui Costa não foram suficientes para que o bloco de oposição na Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA) fechasse questão sobre uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar a Companhia de Engenharia e Recursos Hídricos da Bahia (Cerb). 
Segundo Vital, a dívida da Cerb com a companhia ficou acertada em 290 milhões, que o governo pagaria ao longo de oito anos. "Recebemos R$ 35 (milhões) em 2014, 35 (milhões) no começo de 2015 e a partir de julho iam ser 80 parcelas de R$ 2,750 milhões, o que está em curso", disse Vital. Após a pendência ser destravada, ficou acordado que a empreiteira doaria R$ 5 milhões para a campanha do então candidato apoiado pelo governador Jaques Wagner. 
Contatado pelo Bocão News, o líder da minoria na AL-BA, Leur Lomanto Jr. (PMDB) afirmou que o grupo "ainda não tratou disso". "Pode ser que sim, pode ser que não", respondeu ao ser perguntado se o tema seria debatido com a bancada. Leur é citado também em delações da Odebrehct, como um dos políticos que recebeu "valores a pretexto de doação eleitoral", em 2014.
Matérias relacionadas

Publicada originalmente dia 23

Classificação Indicativa: Livre