Política

Vereador pede exoneração do secretário de Educação e diretor da Guarda Municipal

Vagner Souza / Bocão News

Professores se manifestaram na tarde desta quarta (8) na Câmara de Salvador

Publicado em 08/08/2018, às 20h10    Vagner Souza / Bocão News    Henrique Brinco e Tamirys Machado

O vereador Hilton Coelho (PSOL) pediu a exoneração, durante protesto dos professores nesta quarta-feira (8), do secretário de Educação, Bruno Barral e o diretor da Guarda Municipal, Maurício Lima, devido ao ocorrido na manhã de terça (7), onde professores foram agredidos enquanto realizam manifestação. 


“Acho que não tem outro caminho do prefeito, senão a exoneração do secretário de Educação e do superintendente da Guarda já que está provado que houve uma articulação da Guarda com aquelas pessoas que estão ali à paisana e criaram o tumulto.  Então essas duas medidas são indispensáveis, além de uma retratação pública e ele receber pessoalmente o movimento para discutir as pautas da categoria. Se ele não fizer, vai ser mais desgaste e mais prejuízo para Salvador”, disse o vereador de oposição. 

Ainda conforme Hilton, o movimento ganhou mais força. “Não tenho dúvidas que existe uma situação de comoção da categoria e uma situação de comoção social. O que a Guarda Municipal fez ontem é um reflexo da atitude de intransigência que o prefeito ACM Neto vem tendo, na manhã de ontem ganhou contorno que beiraram o trágico. Isso fez com que a categoria reforçasse o processo de mobilização”. 

Os professores da rede municipal estão há mais de um mês em greve. O edil rebateu ainda as críticas que o movimento é partidário de pessoal ligadas ao PSOl e PCdoB. “Somos uma categoria de trabalhadora que tem uma reflexão clara. Nunca seria uma categoria manipulada. Elas justificam a pauta, trata-se do respeito à lei, a lei que define o número de concursados na rede eleição para gestores, plano de carreira e as perdas salariais”. 

Classificação Indicativa: Livre