Política

Censo 2020: conseguimos tirar meu filho e outros milhões de autistas da invisibilidade, diz vice-presidente da AMA; assista

Arquivo Pessoal

Leonardo Martinez é pai de Vinícius, um adolescente de 14 anos, que tem autismo severo

Publicado em 18/07/2019, às 18h24    Arquivo Pessoal    Yasmim Barreto

O vice-presidente da Associação Amigos dos Autistas (AMA) da Bahia, Leonardo Martinez, que também é pai de um adolescente de 14 anos, Vinícius, que tem autismo severo, comemorou a inclusão de pessoas autistas no Censo 2020, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), sancionado pelo presidente Jair Bolsonaro (PSL), nesta quinta-feira (18). ‘’O sentimento enquanto pai, enquanto representante de uma associação tão importante como a AMA é de emoção, vitória de perceber que vamos conseguir tirar o meu filho e tantos outros milhões de autistas no Brasil da invisibilidade’’.    

No entanto, Leonardo Martinez ressaltou que foi necessária uma trajetória de sete anos para conseguir atingir o objetivo de contabilizar a população autista oficialmente. ‘’Começamos a nos movimentar nacionalmente com a PLC 139/2018, aí conseguimos aprovação na câmara dos deputados e no senado no dia dois de julho e depois foi para a sanção presidencial, para sancionar ou vetar. Só que o presidente Jair Bolsonaro deu sinais, através do Twitter, de que vetaria, então, a comunidade toda começou a pressionar’’. 

Assista a abordagem de um dos manifestantes a favor dos autistas no Censo: 


Para o pai do menino de 14 anos, depois da aprovação da Lei Federal nº 12.764/2012, de 27 de dezembro de 2012, que regulamenta a proteção a autistas, esse foi mais um passo relevante para viabilizar a criação de políticas públicas para a população autista. ‘’O objetivo da gente é que a partir do momento que temos números oficiais sobre essa deficiência, porque o autismo é uma deficiência, nós temos como exigir políticas públicas para essas pessoas’’.

Classificação Indicativa: Livre