Política

Ida de Ciro Nogueira para Casa Civil não deve interferir em parceria PP-PT na Bahia, avalia Niltinho

[Ida de Ciro Nogueira para Casa Civil não deve interferir em parceria PP-PT na Bahia, avalia Niltinho]
22 de Julho de 2021 às 12:17 Por: Vagner Souza / BNews Por: Luiz Felipe Fernandez e Marcos Maia

O deputado estadual Niltinho (PP) pondera que é prematura a discussão sobre se o fato do senador Ciro Nogueira, presidente nacional do PP, assumir a gestão do governo Bolsonaro pode gerar repercussões na política estadual. Atualmente o PP compõe a base de apoio do governo Rui Costa (PT).

Nesta quinta-feira (22), o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) confirmou que Nogueira assumirá a Casa Civil em uma reforma ministerial que deve acontecer na semana que vem. "Está praticamente certo. 

Durante cerimônia para entrega de 37 ônibus escolares para municípios localizados em 12 territórios do Estado nesta manhã, evento que contou com a presença do governador Rui Costa (PT), Niltinho conversou com o BNews.

Na ocasião, ele avaliou que o embarque de Nogueira na gestão do governo federal é uma decisão “nacional” da legenda. O deputado destacou que o senador apoia o atual presidente - "não só no Governo Federal mas no Estado dele, o Piauí" - e opinou que o fato não deve interferir na política local.

Destacou também,  que o governador Rui Costa (PT) tem mantido uma relação coesa com a legenda, que também abriga o vice-governador, e secretário do Planejamento, João Leão.  

"O histórico do PP mostra que o partido dá liberdade para que cada Estado seja definido à conjuntura - ou que já está ou, é lógico, se remodelar. Não vejo sentido nessa preocupação neste momento", avaliou. Acrescentando que o grupo tem se mantido unido, Niltinho ponderou que especulação quanto a eventuais mudanças é "natural".

"Acho prematuro imaginar que nesse momento o PP irá fazer qualquer mudança, ainda mais quando você está em um ambiente onde há harmonia, em ambiente no qual o grupo sempre marchou unido nos últimos anos conquistando diversas vitórias", continuou. 

Eleição 2022

Questionado sobre um eventual desembarque da base para compor com o grupo do ex-prefeito ACM Neto (DEM), futuro adversário dos petistas em 2022 na disputa pelo governo do Estado, o parlamentar disse que "nem há essa conexão diante das discussões políticas no Estado". 

Sem citar os números da última pesquisa de intenção de votos para as eleições de 2022 do governo do Estado, o parlamentar disse que o grupo tem acompanhado as discussões sobre quem lidera - "A ou B". 

O levantamento realizado pelo instituto Real Time Big Data, e divulgado na última terça-feira (20) pela Record TV Itapoan, o ex-prefeito de Salvador, e presidente nacional do DEM, ACM Neto, liderando com 41%, enquanto o ex-governador, e atual senador, Jaques Wagner (PT) aparece com 27%. 

Também durante a cerimônia desta manhã, o líder do governo na Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA) , Rosemberg Pinto (PT), reiterou sua opinião de que a pesquisa é "uma avaliação de momento".  

Niltinho acrescentou que, na base do governo, também há, além de Wagner, outros dois "grandes nomes com possibilidade real de ser candidato", citando o senador Otto Alencar (PSD) e o atual vice-governador. 

"São três nomes postos, colocados em discussão por toda a Bahia, e isso acaba dividino os números nas pesquisas. Lógico que eleição, e quando se aproxima dela, se começa realmente a definir cenários e quem realmente conquistar o maior número de aliados.... A política é sempre pautada em uma construção de grupo e quem tiver o grupo melhor, mais coeso, não tenho dúvida, vencerá a eleição", finalizou.

Notícias Relacionadas

Governo entrega ônibus escolares para 43 municípios baianos

Rui critica resistência de professores sobre retorno das aulas: 'única categoria que vai voltar só depois da vacina'

Consórcio do Nordeste vai pedir reunião com Queiroga para discutir uso da Sputnik V no PNI

‘Bolsonaro está de joelho à política do centrão, diz Alice Portugal sobre Nogueira no governo

Rui ameniza sobre subida de Ciro Nogueira para Casa Civil, mas aproveita para criticar Bolsonaro

Otto Filho diz que ministro da Defesa não fala pelo Exército e critica voto impresso

Classificação Indicativa: Livre


Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Compartilhar