Política

Canal de bolsonarista investigado por espalhar fake news recebeu cerca de R$ 180 mil em publicidade

Agência Senado

Publicado em 22/08/2021, às 19h33    Agência Senado    Redação BNews

O canal Terça Livre, mantido pelo bolsonarista Allan dos Santos, recebeu cerca de R$ 180 mil entre junho de 2020 e janeiro de 2021, antes de ser retirado do ar por propagar notícias falsas. Este valor se refere somente à receita de publicidade no YouTube, que gerava uma média de R$ 22 mil mensais.

Os dados foram anexados pelo próprio canal no processo que moveu contra a Google para pedir a sua reativação. O montante é exclusivamente da ferramenta Google AdSense, que direciona anúncios da empresa a partir de filtros. O Terça Livre ainda se beneficiava de doações por meio do Super Chat, durante as lives transmitidas pela plataforma.

O corregedor-geral da Justiça Eleitoral, o ministro Luís Felipe Salomão determinou que as redes sociais suspendam o pagamento aos canais e páginas que são investigadas por disseminação de fake news.

Allan dos Santos já foi alvo de duas operações da Polícia Federal e, na última terça-feira (18), foi denunciado pela Procuradoria do Distrito Federal por incitação de crime pelas ameaças feitas ao presidente do Tribunal Superior Eleitoral, Luís Roberto Barroso.

Segundo informações da coluna Painel, da Folha de S. Paulo, a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid deve investigar se Allan recebeu verba do governo Bolsonaro para divulgar informações falsas sobre a pandemia.

Classificação Indicativa: Livre