Política

Tabata Amaral vai processar presidente da Fundação Palmares por postagem sobre menstruação

Reprodução/Câmara dos Deputados

Sergio Camargo compartilhou o print de um diálogo em que a parlamentar teria escrito “Me deixa menstruar, Bolsonaro” e o presidente Jair Bolsonaro teria respondido: “E quando foi que eu proibi?”. Presidente vetou distribuição gratuita de absorvente menstrual para estudantes de baixa renda e pessoas em situação de rua

Publicado em 15/10/2021, às 08h00    Reprodução/Câmara dos Deputados    Redação BNews

A equipe jurídica da deputada federal Tabata Amaral (PSB) planeja acionar judicialmente o presidente da Fundação Palmares, Sergio Camargo, por uma publicação feita por ele, no Twitter, na qual atribui uma mensagem à conta da parlamentar na mesma rede social .

As informações são do colunista Lauro Jardim, do jornal O Globo. Na última quarta-feira (13), Camargo compartilhou o print de um diálogo em que Tabata teria escrito “Me deixa menstruar, Bolsonaro”, ao passo que o respondeu: “E quando foi que eu proibi?”.

No último dia 7 de outubro, o presidente Jair Bolsonaro vetou a distribuição gratuita de absorvente menstrual para estudantes de baixa renda de escolas públicas e pessoas em situação de rua ou de extrema vulnerabilidade.

O Congresso ainda pode decidir manter ou derrubar o veto presidencial. Tabata é uma das autoras e defensoras da iniciativa. Também segundo o colunista, ela e outras parlamentares estão articulando a retomada do projeto no Congresso.

Leia também

Bolsonaro: "Se Congresso derrubar veto do absorvente, vou tirar dinheiro da saúde e educação"

Damares Alves defende veto de Bolsonaro à distribuição gratuita de absorventes

Classificação Indicativa: Livre