Política

Geraldo Jr. se diz "estarrecido" com recomendações do MP-BA

Reprodução/TV

"Não vamos nos render", diz presidente da Câmara de Salvador

Publicado em 23/11/2021, às 15h54    Reprodução/TV    Henrique Brinco

O presidente da Câmara de Salvador, Geraldo Júnior (MDB), criticou um ofício enviado pela procuradoria do Ministério Público da Bahia com sete recomendações para a Casa nas discussões das leis orçamentárias. O edil fez um duro discurso na Mesa Diretora, na sessão ordinária da tarde desta terça-feira (23).

"No final deste documento, pasmem senhores, requisita e 'ordena' a adequada divulgação do teor de toda recomendação citada entre todos os membros da Casa. E ainda cobra satisfação, se foi ou não cumprida essa ordem no prazo de 10 dias. Ou seja, não há mais a discricionariedade dos vereadores desta Casa", explicou.

Leia também:

"Que país é que estamos vivendo? Esta Casa se respeita e, com certeza, vive sob a égide da Constituição Federal de 1988 - onde as competências e atribuições dos poderes constituídos e das instituições a ele submetidas estão delineadas. Fiquei, num primeiro momento, estarrecido", continuou.

"Pensei que se tratava de uma fake news, que jamais imaginei que o Ministério Público da Bahia estabelecesse um documento com tais recomendações. Aí está uma clara e límpida tentativa de usurpação e interferência do Ministério Público nesta Casa. Não vamos aceitar", emendou Geraldo.

O edil afirmou que acionou o procurador parlamentar da Câmara, vereador Edvaldo Brito (PSD), para que reaja ao assunto. "Não vamos nos render a esse tipo de recomendação que, no nosso entendimento, é descabida e desrespeitosa com a nossa instituição", criticou, afirmando que solicitou uma reunião com a procuradora-geral de Justiça da Bahia, Norma Cavalcanti.

A íntegra do documento ainda não foi divulgada.

Leia também:

Acompanhe o BNews também nas redes sociais, através do Instagram, do Facebook e do Twitter

Classificação Indicativa: Livre