Política

Secretário da Fazenda vai pegar no ‘pé’ dos inadimplentes de Salvador

Imagem Secretário da Fazenda vai pegar no ‘pé’ dos inadimplentes de Salvador

Mauro Ricardo Costa garante que capital baiana pode entrar nos trilhos

Publicado em 21/01/2013, às 07h49        Redação Bocão News (Twitter: @bocaonews)

Salvador é uma cidade endividada. O ‘mago’ escolhido pelo prefeito ACM Neto (DEM) para colocar a cidade nos trilhos tem experiência na gestão financeira da prefeitura e do governo de São Paulo, e atende pelo nome de Mauro Ricardo Costa. Responsável pela Secretária da Fazenda do município, Mauro Ricardo vislumbra nos inadimplentes e sonegadores fiscais a fórmula para conseguir angariar mais receita para a capital baiana.

“Nós recebemos a prefeitura numa situação financeira muito difícil. Dívidas muito grandes com insuficiência de recursos para honrá-las. Estamos estimando algo em torno de R$300 a R$400 milhões de dívidas com insuficiência de recursos, o que vai exigir da prefeitura um sacrifício muito grande”, explica o secretário em entrevista à Tribuna da Bahia.

Segundo o gestor, a administração de João Henrique deixou a prefeitura em situação pior do que já era imaginada e em função disso o município não foi capaz de honrar com os acordos. “Se nós tivermos que pagar todos esses compromissos deixados pela administração anterior nós estaremos fadados à falência. A prefeitura está falida não é? Essa é a situação hoje. Cabe à atual administração resolver esse problema”, observa otimista.

Ele ainda explica o que já foi feito pela atual gestão para reverter a atual situação de instabilidade financeira. “Estamos apurando todas as dívidas registradas e não registradas, de tal maneira para que possamos, a partir daí, termos um balanço mesmo que parcial neste primeiro momento para que possamos definir qual é a proposta de equacionamento deste problema. Aquilo que tiver saldo financeiro, uma despesa vinculada a um determinado recurso, nós faremos o pagamento imediato a partir do dia 1º de fevereiro. Aquilo que não houver disponibilidade financeira nós definiremos com o prefeito qual a forma de equacionar este pagamento sem comprometer as despesas essenciais da prefeitura”.

Sobre a fórmula para conseguir receber o passivo do município. Mauro Ricardo utiliza a velha forma de trabalho.”Olha, cobrando. Nós seremos insistentes na cobrança, seja ampliando as formas de cobrança administrativa e a cobrança judicial. Faremos protestos, penhora de bens, usaremos todos os instrumentos que existem hoje na legislação para cobrar aquilo que devem ao fisco municipal”, garante.

Classificação Indicativa: Livre