Política

Bahia também internará usuários de crack compulsoriamente

Imagem Bahia também internará usuários de crack compulsoriamente

Previsão do governo é que internamentos comecem em março

Publicado em 22/01/2013, às 08h31        Redação Bocão News (Twitter: @bocaonews)

Não demorou muito para que o estado da Bahia copiasse o modelo de internação compulsória para dependentes químicos implantado no Rio de Janeiro e mais recentemente em São Paulo. Uma equipe com profissionais de saúde será criada pela Superintendência de Prevenção e Acolhimento aos Usuários de Drogas e Apoio Familiar (Suprad), órgão vinculado à Secretaria de Justiça, Cidadania e Direitos Humanos. A previsão do governo é que o grupo esteja nas ruas do Centro Histórico já em março. 



Começou na segunda-feira (21) as primeiras abordagens dos 50 agentes, fruto da parceria do poder Judiciário com o governo do estado. Se for comprovado que o dependente químico não tem mais o domínio de sua capacidade física e negar o tratamento, um juiz poderá determinar sua internação. Segundo a superintendente da Suprad, Denise Tourinho, convencer o usuário a ser internado é fácil. Difícil mesmo é manter a internação. “Chegar até o usuário e determinar a internação compulsória é fácil. O difícil é a rede de saúde atender a todas essas pessoas”, disse ao jornal Correio. De acordo com a diretora de Atenção à Saúde, Luciana Peixoto, da Secretaria Municipal da Saúde, a prefeitura “pretende expandir a rede de Caps”, mas ainda não há previsão para isso.

Vale lembrar, que o secretário municipal de Saúde revelou recentemente más notícias sobre o orçamento da secretaria na prefeitura de Salvador. Leia mais.


Classificação Indicativa: Livre